Concepção artística da sonda TESS.(Créditos da imagem: NASA).

Os programas de ciência cidadã estão cada vez mais comuns, ganhando ainda mais destaque durante a pandemia. Certamente é uma ótima maneira de inserir as pessoas no contexto da pesquisa e aproximar o cidadão comum do método científico. Além disso, o sistema auxilia na produtividade de diversas pesquisas que ainda dependem de uma filtragem humana. Você pode, por exemplo, ajudar a NASA a caçar exoplanetas.

Através da plataforma Planet Patrol, recém lançada pela NASA, é possível ajudar na classificação de exoplanetas. Identifica-se os explonartas por meio de algoritmos de inteligência artificial. No entanto, essa filtragem é básica, e o Machine Learning não possui a capacidade de realizar a confirmação da detecção com o treinamento atual. Portanto, é um papel ainda dos humanos.

LEIA TAMBÉM: Inteligência artificial encontra 50 novos exoplanetas “perdidos” em dados da NASA

“Os métodos automatizados de processamento de dados TESS às vezes falham em capturar impostores que parecem exoplanetas”, explica em um comunicado o líder do projeto, Veselin Kostov, pesquisador da NASA e do projeto SETI. “O olho humano é extremamente bom em detectar tais impostores, e precisamos de cientistas cidadãos para nos ajudar a distinguir entre planetas semelhantes e genuínos”, diz Kostov.

Quem coleta os dados dados é uma sonda chamada TESS. Ela possui quatro câmeras que fazer uma varredura por diversos pedaços do céu em busca de exoplanetas, ou seja, planetas de fora do sistema solar. Um algoritmo filtra os dados e seleciona aquilo que se parece com um planeta. Com os dados já filtrados, e os assuntos inúteis deletados, os humanos podem dar a palavra final.

Como funciona?

O trânsito planetário é o principal meio de detecção de exoplanetas. Ele consiste na detecção da variação na luz emitida por uma estrela quando um planeta passa na frente. No entanto, nem todas as variações significam a passagem de planetas. Pode ser, portanto, qualquer tipo de interferência.

LEIA TAMBÉM: Astrônomos encontram evidências de um planeta fora da Via Láctea

“O Planet Hunters TESS pede aos voluntários que observem as curvas de luz, que são gráficos do brilho das estrelas ao longo do tempo”, diz Marc Kuchner, um dos responsáveis pelo projeto. “O Planet Patrol pede que olhem diretamente para a imagem da TESS, embora planejamos incluir também curvas de luz para essas imagens no futuro”.

Para ajudar a NASA a caçar exoplanetas, acesse o Planet Patrol por meio deste link. A interface é bastante simples, e você não precisa de um nível muito avançado de inglês para ajudar. A ciência precisa de você!

Com informações de NASA.