Reentrada registrada em Nhandeara, SP. (Créditos da imagem: Renato Poltronieri/BRAMON)

Já não é novidade nenhuma que a empresa de Elon Musk, a SpaceX, pretende construir uma imensa rede de satélites de internet. O projeto é intitulado Starlink, ganhando visibilidade pela forma como eles aparecem em fila no céu após um lançamento bem-sucedido. Na noite da última sexta-feira, 11, um dos equipamentos do projeto acabou retornando ao planeta em uma queima visível de diversas cidades brasileiras.

A empresa já enviou pelo menos 700 destes satélites até a órbita terrestre, circundando o planeta a uma altitude média de 550 quilômetros. Cada satélite possui uma massa de 260 kg, equipados com propulsores de íons para reposicionamento orbital. Eventualmente, um pode vir a ficar defeituoso, impossibilitando a comunicação com o centro de controle da SpaceX para a correção de altitude.

LEIA TAMBÉM: O projeto Starlink destruirá a Astronomia?

Reentrando na atmosfera às 23h03, o satélite catalogado como Starlink-32 possivelmente começou queimar na região norte do Brasil, passando pelo centro-oeste, sudeste e finalizado a queima ainda acima do oceano Atlântico. Estes equipamentos são possuem partes suficientemente fortes para resistir o calor do atrito com o ar, possivelmente não sobrando nada para chegar ao solo.

Por fim, essas quedas podem se tornar comuns nos próximos anos, já que a SpaceX pretende atingir o número de 42 mil Starlinks na órbita terrestre. Cconsiderando a velocidade orbital de 27 mil km/h, um defeito de comunicação fará alguns deles queimar na atmosfera bem acima de nossas cabeças. Mas por hora, não há com o que se preocupar!