O cientista Stephen Hummel captou red sprites em vídeo enquanto caçava tempestades no Texas. (Créditos da imagem: Stephen Hummel).

Do topo do Monte Locke, no Texas, Estados Unidos, o especialista em céus escuros Stephen Hummel testemunhou um fenômeno natural chamado red sprites, que chamou muita atenção por conta de seu formato de “água-viva”.

Por Revista Galileu.

Os red sprites são descargas elétricas que podem aparecer por alguns décimos de segundo sobre nuvens de tempestade. Eles geralmente ocorrem a uma altitude de 60 a 80 quilômetros e já foram registrados em todos os continentes do planeta, com exceção da Antártica.

Por se formarem muito acima das nuvens e por serem tão rápidos, visualizar esses relâmpagos vermelhos não é uma tarefa fácil. Por isso, a imagem de Hummel é ainda mais especial. Como expert nesses registros e membro do Observatório McDonald, o especialista estadunidense gravou um vídeo de 4 horas e meia enquanto observava pacientemente a formação de uma tempestade no Texas, em 2 de julho deste ano.

O registro da imagem acima é um frame de uma versão mais lenta da gravação, que foi disponibilizada pelo especialista em sua conta no Facebook. Por se formarem muito acima das nuvens e por serem tão rápidos, visualizar esses relâmpagos vermelhos não é uma tarefa fácil. Por isso, a imagem de Hummel é ainda mais especial.

“Os sprites geralmente aparecem aos olhos como estruturas muito breves, turvas e cinzas. Você precisa estar procurando por eles para localizá-los e, muitas vezes, não tenho certeza se realmente vi um até verificar a filmagem da câmera para confirmar”, explicou Hummel em entrevista ao Business Insider.

O nome red sprites (algo como “espíritos vermelhos”) está relacionado ao mistério da natureza desse fenômeno, que foi descrito pela primeira vez no século 19, mas foi captado em filme apenas em 1989 por uma equipe de cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos. Desde então, o fenômeno tem sido mais estudado e observado.

Os red sprites se formam a partir de cargas elétricas opostas às liberadas quando um raio atinge o chão, equilibrando a energia gerada pelo relâmpago. Alguns deles têm o formato de uma água-viva, como este registrado, enquanto outros são mais parecidos com colunas, apelidados de carrot sprites.