A bactéria Lactobacillus paracasei (azul), muitas vezes é usada como um suplemento probiótico, crescendo mais lentamente quando exposta a alguns medicamentos. (Créditos da imagem: Eye of Science/SPL).

Os anti-inflamatórios, antipsicóticos e medicamentos contra o câncer estão entre uma série de medicamentos que podem involuntariamente retardar o crescimento de bactérias intestinais.

A maioria dos antibióticos podem dificultar a digestão, mas não ficou claro até que ponto outros tipos de drogas afetam o equilíbrio bacteriano do intestino, um aspecto que levou os pesquisadores a pensarem que os antibióticos não são os únicos responsáveis em prejudicar a flora intestinal.

O pesquisador Athanasios Typas, do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, em Heidelberg, na Alemanha, e seus colaboradores, testaram o efeito de 835 drogas que não são classificadas como antibióticos, em 40 bactérias intestinais comuns. O resultado deste estudo foi que aproximadamente um quarto dos medicamentos restringiu o crescimento de pelo menos uma espécie de bactéria, e quase 5% afetaram pelo menos dez. Os autores também descobriram que os pacientes que tomam esses medicamentos muitas vezes têm efeitos colaterais semelhantes aos relatados para os antibióticos.

A imensa variedade de micróbios que vivem no intestino é essencial para a saúde humana. Por isso, segundo os autores,  identificar as drogas que afetam as bactérias intestinais específicas pode ajudar nos esforços para desenvolver novas drogas e reduzir os efeitos colaterais dos medicamentos existentes.

Referência:

  1. MAIER, Lisa et al. “Extensive impact of non-antibiotic drugs on human gut bacteria”; Nature, 2018. Acesso em: 01 abr. 2017.
Via:Sinapse
Fonte:Nature
Compartilhe:
Graduando em Ciências Biológicas na UFJF. Atualmente, sou estagiário no laboratório de Genética.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.