O trem de satélites passando sobre Leiden, na Holanda, em 24 de maio de 2019. (Créditos da imagem: Marco Langbroek).

A possibilidade de colocar objetos eletrônicos na órbita terrestre possibilitou a conexão do mundo de uma maneira nunca antes já feita na história. A humanidade já enviou milhares de satélites na órbita terrestre com finalidades que incluem comunicação, observação e estudos em gerais do nosso planeta.

O projeto Starlink, da SpaceX planeja enviar milhares de pequenos satélites para a órbita terrestre, visando conectar o planeta com uma rede global de internet via satélite. A empresa já colocou mais de 350 equipamentos em órbita, onde a cada novo lançamento, é constante a possibilidade de visualizar o trem de luzes cruzando o céu noturno terrestre.

Para observá-los, a necessidade de um pouco de sorte e paciência vem ser útil. Afinal, são novos satélites na órbita e os dados orbitais estão sendo refinados a cada momento, possibilitando a mudança no horário em que cada nova passagem que ocorrer. Nos próximos dias, as pessoas que moram no Brasil, por exemplo, poderão ter a sorte de observá-los passando.

Basicamente, esses satélites ficam orbitando a Terra em fila indiana e é um verdadeiro show visual quando passam sobre determinada região – apesar de alguns astrônomos estarem furiosos com isso, já que essas dezenas de satélites podem prejudicar a astronomia observacional. A cobertura metálica dos satélites são altamente reflexivas e quando passam a uma altitude de até 495 quilômetros, eles podem refletir a luz solar e brilhar intensamente e ao mesmo tempo.

Dependendo da região onde o observador esteja, o horário de passagem muda levemente. Dessa forma, o recomendável é você estimar o horário exato em sites de rastreamento satelital. De qualquer forma, o trem de satélites geralmente passam poucos depois do anoitecer entre 18h e 20h, podendo existir certa discrepância na hora por conta dos dados orbitais ainda muitos recentes. O ideal é sair para observar antes do horário previsto para que não perca qualquer passagem antes do horário previsto que houver.

Passagem do dia 11/04 entre 18h40 e 19h30. (Créditos da imagem: Satflare).

Para acompanhar em mapa, o site Satflare disponibiliza a localização em uma animação bem intuitiva. O portal HeavensAbove, por outro lado, é mais preciso ao mostrar uma lista com os horários, elevação no céu e direção de observação. É só inserir suas coordenadas, clicar na seção “Starlink passes for all objects from a launch” e verificar as próximas passagens!