(Créditos da imagem: Reprodução).

Em Vancouver, no Canadá, (não confundir com Vancouver, Washington, que atualmente também está tendo um surto de sarampo) foi registrado nove casos de sarampo apenas neste mês. O surto parece estar centrado em escolas da cidade, com vários casos ligados a escolas nesta área.

Emmanuel Bilodeau acredita que seu filho pode ser a causa do surto. Ele disse à CBC News que seu filho, que ele optou por não vacinar, contraiu o sarampo durante um feriado no Vietnã no início do ano, antes de trazê-lo de volta ao seu país. No Canadá, a criança espalhou a infecção viral em torno de duas escolas que utilizam a mesma companhia de ônibus.

Bilodeau diz que não vacinou nenhum dos seus três filhos devido à preocupações de que as vacinas causam autismo, o que não acontece. As outras duas crianças foram infectadas com sarampo logo após seu primeiro filho começar a apresentar os sintomas, e foram levadas ao hospital local.

Publicidade

Estávamos preocupados há 10 ou 12 anos, porque houve muito debate sobre a vacina tríplice viral, Bilodeau disse à CBC News. “Alguns médicos surgiram com uma pesquisa que conecta a vacina tríplice viral com o autismo. Então ficamos um pouco preocupados”, conclui.

Ele diz que agora sabe que não há vínculo entre as vacinas e o autismo. A fonte deste mito é um estudo que foi publicado em 1998, onde se relacionava a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) com casos de autismo em crianças. O estudo se baseou essencialmente em relatos de pais, que mencionaram que os sintomas apareceram após a vacinação. Embora não afirmasse categoricamente que a vacina era a causa do autismo, o autor deixou claramente no ar que esta era uma possibilidade, embora o estudo tivesse falhas claras na metodologia, como a falta de grupos de controles. A continuidade do mito é provável porque o autismo geralmente é diagnosticado em torno de 18 meses a 2 anos de idade, quando os sintomas começam a se manifestar, coincidentemente com a idade recomendada para as crianças serem vacinadas contra sarampo, caxumba e rubéola.

Publicidade

O hospital confirmou o sarampo no filho mais novo de Bilodeau, enquanto os outros filhos aguardam os resultados de seus exames de sangue.

Não se vacinar pode causar algumas complicações graves. Com relação ao sarampo, isso inclui danos cerebrais e morte. A caxumba pode causar inflamação no cérebro e na medula espinhal. A rubéola, para mulheres grávidas, pode levar ao aborto ou fazer com que os recém-nascidos tenham problemas congênitos graves. E, para piorar, os casos globais de sarampo dobraram no ano passado. É altamente recomendável que você receba a vacina contra essas doenças o mais rapidamente possível, se já não for imune a elas.

Se você tem pais relutantes em lhe levar para tomar a vacina e deseja saber como se proteger (cada vez mais as crianças estão pesquisando na internet sobre como receber a vacina), procure se informar em um posto de saúde acerca de como obter as vacinas. Há na internet um guia sobre como crianças nos Estados Unidos podem se vacinar sem a permissão de seus pais.

Fonte:IFLScience
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.