Estrela V838 Monocerotis. (Créditos da imagem: NASA/ESA/Hubble).

Às vezes as estrelas se fundem, explodem catastroficamente e espalham os seus materiais pelo espaço. Isso acontece com as raras “novas vermelhas”, assim chamadas por causa da característica de coloração avermelhada.

As pesquisas mais abrangentes sobre as novas vermelhas foram realizadas em 2008, estudando o objeto V1309 Scorpii — um sistema estelar binário que foi analisado por mais de 6 anos antes de se fundir e explodir.

Os astrônomos estão à procura de mais sistemas binários desse tipo, pois esses sistemas podem revelar muito sobre a evolução das estrelas e das nebulosas. No entanto, o astrônomo Larry Molnar, da Faculdade de Calvin, em Grand Rapids, Michigan, alega que encontrou esse sistema e, segundo ele, a explosão será visível daqui a cinco anos.

De acordo com a previsão de Molnar, a explosão estelar deve ser visível no céu noturno sem a necessidade de binóculos ou telescópios.

Modelo computacional do sistema binários KIC 9832227. (Créditos da imagem: Calvin College/Cara Alexander/Daniel Van Noord/Chris Spedden/Larry Molnar).

As estrelas em questão são um sistema binário nomeado KIC 9832227 e estão tão próximas que compartilham as atmosferas de plasma. Molnar disse que a explosão deve aumentar mil vezes o brilho do sistema.

Publicidade

Quando as duas estrelas se fundirem, o brilho pode parecer com o da V838 Monocerotis — uma estrela que explodiu no ano 18.002 a.C. (visível em 2002 na Terra), tornando-se temporariamente 600 mil vezes mais brilhante do que o Sol e a estrela mais brilhante da Via Láctea.

Os astrônomos não sabem se a V838 Monocerotis é uma “nova vermelha”, mas desde 2002 ela é fotografada pelo Telescópio Espacial Hubble. Em 2006, oito dessas fotos foram transformadas em animação e mostram a evolução de 4 anos da estrela (veja o GIF aqui).

Se a previsão de Molnar estiver correta, os astrônomos irão poder acompanhar um evento relativamente raro e importante da evolução estelar.

Estando muitas vezes mais próxima do que a estrela V838 Monocerotis, o KIC 9832227, localizado a 1.700 anos-luz da Terra, na constelação do Cisne, pode oferecer a melhor visão de uma explosão estelar.

Adaptado de Dave Mosher para o IFLScience.

Referências:

  1. R. Tylenda et al. “V1309 Scorpii: merger of a contact binary”; Cornell University Library. Acesso em: 16 nov. 2017.
  2. KUCINSKI, Matt; ROSENDALE, Lynn. “Astronomy prof, student predict explosion that will change the night sky”; Calvin College. Acesso em: 16 nov. 2017.
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 17 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.