(Créditos da imagem: Event Horizon Telescope).

A nova década começa de fato apenas em 2021, no entanto, é fato que a mudança desse ano é mais marcante, pelo consenso comum; a virada do milênio foi em 2000, não 2001. O Ciencianautas preparou, então, uma seleção de alguns dos mais excitantes feitos da ciência na última década.

1. O sapiens tem traços de DNA neandertal (2010)

(Créditos da imagem: Trustees of the Natural History Museum).

No ano de 2010, um grupo liderado por Svante Pääbo, do Instituto Max Planck, demonstrou que o Homo sapiens não é puro — exceto os africanos não miscigenados. Amostras de DNA de pessoas do mundo todo mostram que os Europeus e Asiáticos possuem notáveis traços de genes herdados dos neandertais; os africanos, por outro lado, não são tão próximos assim dessa espécie humana. E sim, já convivemos com eles, e provavelmente foram extintos por nossa causa.

2. Coração de plástico (2011)

Matthew Green, 40, estava próximo da falência cardíaca quando foi protagonista de um procedimento cirúrgico inédito: ele ganhou um coração de plástico. Esse não foi exatamente o primeiro transplante de um órgão artificial que já aconteceu no mundo, mas ele foi o primeiro a ir para a casa com o órgão implantado para aguardar um doador. Quando alguém é submetido ao procedimento, geralmente aguarda no hospital, sob supervisão médica, então o transplante não é “oficial”; até então, 900 operações do tipo haviam sido feitas.

3. Detectada a partícula de Deus (2012)

(Créditos da imagem: LHC/CERN).

Em 4 de Julho de 2012, um comunicado de imprensa do CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), anunciava que experimentos do LHC (Grande Colisor de Hádrons) detectaram partículas consistente com as descrições teóricas do tão buscado Bóson de Higgs, a “partícula de Deus”. A detecção da partícula, que havia sido proposta em 1964 e leva o nome de Peter Higgs causou grande euforia, pois a partícula subatômica é uma das partículas fundamentais do Universo, e confere às outras partículas diversas propriedades essenciais.

Rolf Heuer, na época diretor geral do CERN, disse que a descoberta de uma partícula consistente com o bóson de Higgs abre caminho para estudos mais detalhados, exigindo estatísticas mais amplas, que identifiquem as propriedades da nova partícula e provavelmente lança luz sobre outros mistérios do nosso Universo”.

Em 2013 foi confirmado que eles haviam de fato encontrado o Bóson de Higgs.

4. A NASA anuncia que a Voyager 1 atinge o espaço interestelar (2013)

(Créditos da imagem: NASA/JPL).

Esse foi um marco que confundiu muita gente. Embora a nave tivesse atingido o espaço interestelar, ela não havia saído do Sistema Solar; os limites do Sistema Solar são cerca de 50 mil unidades astronômicas além da Nuvem de Oort, e a nave só havia percorrido 120 — uma unidade astronômica equivale à distância média da Terra ao Sol.

A Voyager 1 havia entrado em uma região do Sistema Solar onde já sofre influência de outras estrelas, mas a influência predominante continua a ser do Sol. Mesmo assim, a região ainda era desconhecida e a nave fez um marco histórico; foi o primeiro objeto construído pelos seres humanos a entrar no espaço interestelar.

Embora isso tivesse ocorrido em 2012, a confirmação veio somente em 2013.

Lançada em setembro de 1977, hoje, a Voyager 1 já possui mais de 42 anos e continua sua missão pelos confins do espaço interestelar.

5. Módulo de sonda pousa pela primeira vez em cometa (2014)

(Créditos da imagem: Reprodução).

Em 2004 a Agência Espacial Europeia (ESA) lançou a sonda espacial Rosetta, que levava consigo o pequeno lander Philae. Elas foram nomeadas em nome da pedra de Rosetta e o Obelisco de Filas, que foram essenciais para decifrar os hieróglifos egípcios.

Dez anos após o lançamento, em 12 de novembro de 2014, a ESA confirmou que a Philae havia pousado no cometa 67P/Churyumov – Gerasimenko. A nave foi o primeiro objeto humano a pousar em um cometa. Lá, ela fez imagens da superfícies e análises da composição mineral do objeto.

Em 2016 a Rosetta também se chocou com o cometa e deu fim à missão.

6. Plutão (2015)

(Créditos da imagem: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute/Alex Parker).

Até o ano de 2015, o que tínhamos de fotos de Plutão não passavam de borrões, dada a distância e falta de iluminação do planeta-anão. Em 14 de Julho de 2015 a New Horizons se tornou a primeira nave humana a sobrevoá-lo, após uma viagem de 10 anos e bilhões de quilômetros.

7. Ondas Gravitacionais (2016)

O ano de 2016 foi mais um dos anos marcados por uma descoberta que mostra que as previsões de Einstein estavam corretas. Embora captadas em 2015, o anúncio foi feito em 2016, e causou grande comoção no meio acadêmico, pela mídia e pela população geral.

A primeira detecção foi resultado da fusão de dois buracos negros ocorrida há cerca de 1,3 bilhão de anos, e foi feita por dois interferômetros a laser Ligo — equipamento em forma de L onde nota-se diferenças na velocidade do feixe de luz quando exposto a interferências —, um em Hanford, em Washington, e o outro em Livingston, na Louisiana.

8. Ação fantasmagórica à distância (2017)

Um dos maiores sonhos de qualquer pessoa é ver um teletransporte de verdade; o fenômeno é muito comum na ficção científica há décadas, e é um dos maiores questionamento que os leigos costumam fazer aos cientistas.

Em 2017, cientistas chineses conseguiram realizar com sucesso um teletransporte; mas não é como você deve estar pensando. Basicamente, eles utilizaram de um fenômeno chamado entrelaçamento quântico, que já era conhecido e aplicado em laboratório, e Albert Einstein apelidou, ironicamente, por duvidar, de “ação fantasmagórica à distância”.

Em termos leigos, no entrelaçamento quântico, duas partículas “são uma só”. Isso quer dizer que se você altera uma, a segunda sofre instantaneamente a mesma alteração. Embora já tivesse sido aplicada em laboratório, os cientistas inovaram em aplicá-la a 500 km um fóton do outro — um na Terra e outro no satélite Micius, na órbita da Terra.

A importância do fenômeno é enorme para a computação. Atualmente, podemos transmitir informações na velocidade da luz, que é limitada. Como na “ação fantasmagórica à distância” é instantâneo, a velocidade da computação e do fluxo de informações pode aumentar exponencialmente. Como transmitimos informações por meio de bits (0 e 1), o estado da partícula, que é binário, é perfeitamente compatível.

9. Neandertais eram capazes de produzir arte (2018)

(Créditos da imagem: D. L. Hoffman).

Novamente estamos falando sobre os neandertais aqui nesta lista. Com todo o nosso egocentrismo e noção de superioridade dos sapiens, consideramos os nossos irmão humanos selvagens e inferiores a nós. Até recentemente, pensávamos que os neandertais eram incapazes de produzir pensamentos simbólicos, essenciais para estarmos no estado de desenvolvimento como civilização em que estamos.

Um estudo publicado em 2018, no entanto, mostrou que provavelmente, pinturas rupestres encontradas na Espanha, algumas datadas com 115 mil anos — época em que nem haviam sapiens na região — foram feitas por nossos irmãos humanos, neandertais.

10. A fotografia de um buraco negro (2019)

(Créditos da imagem: Event Horizon Telescope).

Outro episódio que ficou famoso por uma previsão certeira de Einstein foi a foto de um buraco negro, idêntica às simulações computadorizadas que fazíamos com as equações da Relatividade.

Com dados coletados por uma rede de oito radiotelescópios, denominada Event Horizon Telescope, a construção da imagem foi tão difícil que levou dois anos para ser processada. Toda a informação era tão pesada que não poderia ser enviada através da internet, então foi toda armazenada em HDs.

Katie Bouman junto aos HDs armazenando os dados que geraram a imagem. (Créditos da imagem: Katie Bouman).

Referências:

  1. ABBOTT, B. P. et al.Observation of Gravitational Waves from a Binary Black Hole Merger”; Physical Review Letters, 2019. Acesso em: 29 dez. 2019.
  2. BBC. “Britânico deve ter alta após receber coração de plástico. Acesso em: 27 dez. 2019.
  3. CERN Bulletin. “CERN Press Release: CERN experiments observe particle consistent with long-sought Higgs Boson”. Acesso em: 28 dez. 2019.
  4. CLERY, Daniel. “Silence, hugs, and applause as Rosetta’s 12-year mission ends with landing on comet”; Science. Acesso em: 28 dez. 2019.
  5. ESA. “Touchdown! Rosetta’s Philae probe lands on comet. Acesso em: 28 dez. 2019.
  6. European Commission. “EU-funded scientists unveil first ever image of a black hole. Acesso em: 29 dez 2019.
  7. GHOSH, Pallab. “‘Parece que Einstein acertou mais uma vez’: análise de imagem inédita de buraco negro levou 2 anos; BBC. Acesso em: 29 dez. 2019.
  8. GREEN, Richard E. “A Draft Sequence of the Neandertal Genome; Science. Acesso em: 27 dez. 2019.
  9. HOFFMANN, D. L. et al. “U-Th dating of carbonate crusts reveals Neandertal origin of Iberian cave art; Science. Acesso em: 29 dez. 2019.
  10. JPL. “NASA Spacecraft Embarks on Historic Journey Into Interstellar Space”. Acesso em: 28 dez. 2019.
  11. MOSKOWITZ, Clara. “Gravitational Waves Discovered from Colliding Black Holes”; Scientific American. Acesso em: 29 dez. 2019.
  12. NASA. “NASA’s Three-Billion-Mile Journey to Pluto Reaches Historic Encounter. Acesso em: 29 dez. 2019.
  13. Phys.org. “Complex quantum teleportation achieved for the first time. Acesso em: 29 dez. 2019.