Comparação da poluição na Itália em janeiro de 2020 (à esquerda), e em março de 2020 (à direita). (Créditos da imagem: Copernicus Sentinel/ESA).

Por conta da pandemia mundial de COVID-19, algo não intencional aconteceu devido a baixa na produtividade. Uma redução de poluição foi observada sobre a China e Itália, duas das grandes emissoras de poluentes no mundo.

Na China, as imagens de satélite registradas pela NASA e ESA mostram uma grande redução na emissão de NO2 (dióxido de nitrogênio), bastante emitido pelos veículos e fábricas chinesas. O mesmo se dá ao analisar os pontos de CO2, que vêm da queima de combustíveis fósseis. 

“Entre 3 de fevereiro e 1 de março, as emissões de CO2 terão caído 25 por cento a nível nacional devido às medidas adotadas para o combate ao novo coronavírus”, indicou o Center for Research on Energy and Clean Air.

“É a primeira vez que noto uma queda tão dramática numa área tão ampla. Não estou surpreendida porque muitas cidades na China adotaram fortes medidas para evitar a propagação do vírus”, disse Fei Lui, investigadora da NASA especializada em qualidade do ar.

No YouTube, a ESA divulgou um vídeo com imagens do satélite Sentinel 5P que mostra a flutuação do NO2 na atmosfera, entre o 1 de janeiro e 11 de março.

Além disso, sem a circulação dos famosos barcos nos canais de Veneza, na Itália, cardumes de peixes, golfinhos e outros animais estão tomando conta do local, até o tom da água alterou, mas a prefeitura da cidade afirma que a poluição aquática não diminuiu.