(Créditos da imagem: Reprodução).

*Atualização ao final do texto

Em fevereiro, portarias da CAPES haviam instituído que não poderiam haver cortes acima de 10% nem acréscimos de 30% em bolsas de pós graduação para os cursos. O próprio órgão, no entanto, quebrou sua própria regra. A Portaria n° 34, de 09 de março de 2020 institui novas regras polêmicas, que permite cortes de até 50% e aumentos de 70%. 

As novas regras surgem, segundo eles, na intenção de priorizar cursos com notas altas, coisa que na realidade já acontece. No entanto, diversos programas de pós graduação já fizeram suas contas, e até mesmo cursos de excelência sofrerão. Conforme exposto pela Folha, a Unicamp terá como área mais afetada a de engenharia elétrica. No total serão 40 bolsas cortadas: 21 no doutorado e 19 no mestrado, apenas neste curso, que tem uma nota 6 em uma escala que vai até 7. A UFSC deve perder mais de 500 bolsas, no total, das quais 192 de cursos de excelência.

A CAPES negou que a portaria implicasse em cortes. “Não houve cortes. A rigor, a parcela de bolsas que deixa um curso de menor qualidade passa para cursos com melhores indicadores”. A recepção da portaria pela academia, no entanto, mostra que não é bem assim. Há uma suspeita de que esses cortes podem estar escondidos na modalidade ‘cota de empréstimo’, que ocorre mediante a mudanças repentinas. Nesse caso, alunos poderiam perder a bolsa no meio do projeto.

Diversas universidades e instituições, como Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC), a Unicamp, a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) etc., se manifestaram publicamente contra a portaria e pediram sua revogação, que não foi atendida pela CAPES.

Na última sexta feira (27), o Senado Federal abriu uma consulta pública para a revogação da portaria 34/2020 da CAPES, que você pode acessar clicando aqui. Caso queira ler a portaria na íntegra, basta clicar aqui. [Folha, Estadão e CAPES].

Não deixemos os lunáticos destruir ciência.

Atualização:

01 abr. 2020 – Weintraub, ministro da educação, afirma que não houveram cortes e, pelo contrário, houveram aumentos. O ministro culpou ainda a mídia e a esquerda por espalhar mentiras.

02 abr. 2020 – A Capes admite o erro e anuncia restituição de cerca de 6 mil bolsas afetadas. [Folha]

Avatar
Mais um insignificante humano habitando um pálido ponto azul no vasto oceano cósmico circundante. Com minha ilusória auto-importância, característica humana, me aventuro pela divulgação científica. Apaixonado pela ciência desde criança, sou uma das poucas pessoas que como diz Carl Sagan, “passam pelo sistema com sua admiração e entusiasmo intactos”. Atualmente curso Física na UFScar e escrevo para o Ciencianautas.