Plutão registrado pela sonda New Horizons. (Créditos da imagem: NASA/JHUAPL/SWRI).

De acordo com a União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês), para um corpo celeste ser classificado como um planeta, ele precisa atender a três requisitos principais. Em primeiro lugar, precisa estar em uma órbita em torno do Sol, em segundo lugar, deve ter gravidade suficiente para puxar-se em uma forma esférica, e em terceiro lugar, ele precisa ter “limpado a vizinhança” da sua órbita.

Plutão orbita o Sol e também é de forma esférica, encaixando dois requisitos. No entanto, o planeta anão começa a ter problemas quando os astrônomos olham para a regra final.

Plutão — que era conhecido como o nono planeta do nosso Sistema Solar desde sua descoberta em 1930 pelo astrônomo americano Clyde Tombaugh até a sua desclassificação para planeta anão em 2006 — não limpa a sua vizinhança. Ou seja, o planeta anão é incapaz de consumir corpos menores ou jogá-los para longe usando sua gravidade. [Space Answers].