Fábrica de preservativos em Sarstedt, Alemanha. (Créditos da imagem: Christian Jungeblodt/The Guardian).

Sim. No plural. Em fevereiro o Ciencianautas publicou uma notícia sobre os animadores resultados nos testes do “undecanoato de dimetandrolona”, ou DMAU. Agora, um outro contraceptivo masculino apresentou bons resultados.

No último domingo, na conferência anual da Sociedade de Endocrinologia, em Nova Orleans, nos Estados Unidos, cientistas anunciaram o 11-beta-MNTDC. No momento, a droga, em um ensaio clínico envolvendo 40 homens saudáveis, apresentou bons resultados, sem efeitos colaterais significativos.

Durante 28 dias, 30 dos homens tomaram uma dose diária da droga. Os outros 10 fizeram parte do grupo controle, ingerindo placebo.

Publicidade

“Nossos resultados sugerem que esta pílula, que combina duas atividades hormonais em uma, diminuirá a produção de esperma enquanto preserva a libido”, diz Christina Wang, bióloga de reprodução masculina do Instituto de Pesquisa Biomédica de Los Angeles.

O 11-beta-MNTDC é uma forma modificada de progesterona que bloqueia a produção de dois hormônios, LH e FSH, necessários para a produção de espermatozoides. Também leva consigo um andrógeno, que regula a queda do LH e do FSH.

Publicidade

Embora seja o melhor contraceptivo, a camisinha não oferece 100% de efetividade. Nem mesmo a camisinha somada ao contraceptivo feminino possuem garantia total. Ademais, é grande o número de mulheres que não se adaptam ao uso de anticoncepcionais, já que são um tratamento hormonal, o que pode trazer muitos efeitos colaterais. Isso nos mostra uma necessidade de anticoncepcionais masculinos, que há décadas vêm sendo buscados por cientistas.

Há um medo um tanto bobo entre os homens de que métodos contraceptivos masculinos, que não uma barreira física — como a camisinha —, ou seja, vasectomia ou pílulas anticoncepcionais, tirariam sua masculinidade. Apesar de tal receio não fazer sentido, há uma resistência grande.

“Como a produção de testosterona é interrompida nos testículos, a ação androgênica no resto do corpo mantém a “masculinidade” em outros lugares, sustentando coisas como cabelo masculino, voz profunda, desejo sexual e função e massa corporal magra”, disse ao jornal britânico The Guardian a endocrinologista Stephanie Page, co-autora sênior da pesquisa.

Christina Wang observou uma disposição nos homens a tentar uma pílila anticoncepcional: “Quando perguntamos aos homens sobre compostos hormonais, cerca de 50% estão dispostos a tentar esse novo método. E quando você pergunta a seus parceiros, a porcentagem é ainda maior ”.

A pesquisa continua em andamento, pois novos testes ainda são necessários. Os pesquisadores acreditam que nos próximos 10 anos um contraceptivo hormonal masculino deve entrar no mercado.

Publicidade
Fonte:The Guardian
Compartilhe:
Avatar
Mais um insignificante humano habitando um pálido ponto azul no vasto oceano cósmico circundante. Com minha ilusória auto-importância, característica humana, me aventuro pelo jornalismo científico. Apaixonado pela ciência desde criança, sou uma das poucas pessoas que como diz Carl Sagan, “passam pelo sistema com sua admiração e entusiasmo intactos”. Atualmente faço o ensino médio em uma ETEC e escrevo para o Ciencianautas.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.