(Créditos da imagem: SUPERA Parque).

Instalado em Ribeirão Preto, o SUPERA foi concebido através de uma parceria entre a USP, a prefeitura local e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo.

A cidade abriga o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, pertencente à USP. É de se imaginar, portanto, que a prioridade do tecnopolo seja a área da saúde — equipamentos médicos e hospitalares, biotecnologia, fármacos, cosméticos etc. As empresas do parque possuem uma série de incentivos fiscais e de infraestrutura.

Em funcionamento desde 2014, fechou o ano de 2017 com um faturamento de cerca de 11 milhões de reais e com uma grande participação de estudantes — 55% das startups do parque vêm de projetos de alunos da USP e 30% de alunos de outras universidades, federais e estaduais.

Publicidade

Com seu espaço físico todo ocupado, o parque conta hoje com projetos de ampliação, assim, novas empresas podem ser criadas.

Apesar de já estar há alguns anos em funcionamento, ainda não foi totalmente instituído. O SUPERA possui três fases de implantação. Atualmente está na primeira e a segunda já está na etapa de desenvolvimento.

Publicidade

A primeira fase é a da Incubadora de Empresas e o Centro de Negócios; a segunda é a urbanização de uma área de 150 km² e a terceira é a construção dos prédios da Aceleradora de Empresas e do Núcleo administrativo do parque.

Os seus principais projetos são a Incubadora de Empresas, para a instalação das empresas que estão iniciando as atividades; o Centro de Negócios, para startups e grandes empresas; o Centro de Tecnologia, com laboratórios de alta tecnologia e o International Office, para oferecer serviços às empresas que desejam se expandir ao exterior.

Publicidade

“A maioria das empresas do Centro de Negócios são formadas por startups já graduadas na incubadora, que decidiram se manter no Supera para usufruir das facilidades do ambiente de inovação vinculado à USP. A infraestrutura atrai empreendedores que encontram soluções também inovadoras para instalação e gerenciamento”, diz Adilton Oliveira Carneiro, diretor do parque.

Referências:

  1. HONORATO, Thainan. Alunos são responsáveis por 55% das startups de parque tecnológico”; Jornal USP. Acesso em: 14 dez. 2018.
  2. SUPERA Parque. Acesso em: 14 dez. 2018.
Compartilhe:
Avatar
Mais um insignificante humano habitando um pálido ponto azul no vasto oceano cósmico circundante. Com minha ilusória auto-importância, característica humana, me aventuro pelo jornalismo científico. Apaixonado pela ciência desde criança, sou uma das poucas pessoas que como diz Carl Sagan, “passam pelo sistema com sua admiração e entusiasmo intactos”. Atualmente faço o ensino médio em uma ETEC e escrevo para o Ciencianautas.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.