Cada núcleo das células humanas são embrulhados com dois metros de DNA enrolados em torno de 46 cromossomos em um formato parecido com o de um espaguete. Esse “macarrão” está em constante movimento e à medida que ele se ajusta ao que a célula precisa fazer, esses ajustes colocam certos genes em contato para que eles possam trabalhar juntos.

Os pesquisadores visualizaram esses movimentos em intervalos de vinte minutos para que eles obtivessem uma representação em 4D. Com essa técnica, eles podem observar como essa estrutura 3D muda ao longo do tempo: eles demonstraram como uma proteína ajuda a organizar esses movimentos.

Os pesquisadores relataram no periódico científico Cell que ao remover e, em seguida, adicionar a proteína coesina, eles fizeram os laços específicos de DNA desaparecem e depois reaparecem. No entanto, a coesina só afeta o laço que faz os genes do mesmo cromossomo entrarem em contato.

Um segundo mecanismo, ainda indefinido, parece juntar os genes de diferentes cromossomos, observou a equipe de pesquisadores. A mudança no arranjo dos laços ajuda as células a mudar rapidamente quais genes estão ativos. Entender esse movimento pode nos ajudar a entender e tratar melhor as doenças genéticas.

Adaptado de Elizabeth Pennisi para a Science.

Referência:

  1. RAO, Suhas S.P. et al. “Cohesin Loss Eliminates All Loop Domains”; Cell. Acesso em: 19 out. 2017.
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 17 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.