Tempestade Tropical Cristobal vista por satélite no dia 3 de junho de 2020. (Créditos da imagem: NASA)

Todo ano vemos notícias de furacões causando problemas no México, nas ilhas do Caribe e no sul dos Estados Unidos. Muitas vezes essas tempestades ainda são amplificadas por fenômenos como aquecimento global – que eleva a temperatura dos oceanos, e pelo El Niño.

A temporada de furacões de 2020 se iniciou dia 1° de junho. Dois dias após esse início, dia 3 de junho, houve um número furacões que geralmente ocorre em dois meses e meio: 3 furacões grandes o suficiente para receber nome.

Segundo AccuWeather, surgem 3 furacões dessa relevância apenas, em média, em torno de 13 agosto. Nunca havia se formado esse número tão rápido.

Anteriormente, o recorde pertencia a Tempestade Tropical Colin, que se formou no dia 5 de junho de 2016.

O furacão atingiu o território mexicano ainda na quarta feira pela manhã, causando tempestades com ventos de mais de 100 km/h. Os especialistas acreditam que ele retornará para as águas quentes, ganhe mais força e siga para os Estados Unidos.

Dan Kottlowski, especialista do AccuWeather, disse ao portal de imprensa da empresa que “o cenário mais provável é que a tempestade sobreviva, volte para as águas quentes do Golfo do México central, reorganize, fortaleça e vire para o norte em direção aos EUA, de sexta a domingo à noite”.

No México, acredita-se que ainda hoje ele pode perder força, porque está em uma região com colinas e montanhas. No entanto, se ele não adentrar o continente e ficar pela costa, pode ganhar mais força mais rapidamente.

Ainda não se sabe se a tempestade pode ganhar força suficiente para causar muitos estragos. Isso depende de se ela vai conseguir se fortalecer ou não.

Algo que pode ocorrer, mas não se sabe se será antes ou depois da passagem do Cristobal, é a formação de uma área de alta pressão ao norte. Se ela se formar logo, pode enfraquecê-lo e matá-lo ainda no início da próxima semana, por exemplo.

Prevê-se que 2020 será um ano com tempestades acima da média. [Business Insider/AccuWeather]

Como se forma um furacão?

As temperaturas mais elevadas ajudam na formação dessas tempestades, porque faz parte do processo de formação. Grosso modo, com a água mais quente, sobe ao ar uma quantidade maior de vapor do oceano.

Quando esse vapor chega a uma determinada altitude, ele esfria, e essa coluna perde pressão, “puxando” mais vapor de baixo para equilibrar essa perda de pressão e esse ciclo gera ventos em forma de vórtice.

Nesse processo ocorre também a formação de nuvens, por isso os ventos são acompanhados por uma forte precipitação.

Inicialmente chama-se tempestade tropical. É necessário que algumas características específicas sejam atendidas para que seja classificado como um furacão.

Avatar
Mais um insignificante humano habitando um pálido ponto azul no vasto oceano cósmico circundante. Com minha ilusória auto-importância, característica humana, me aventuro pela divulgação científica. Apaixonado pela ciência desde criança, sou uma das poucas pessoas que como diz Carl Sagan, “passam pelo sistema com sua admiração e entusiasmo intactos”. Atualmente curso Física na UFScar e escrevo para o Ciencianautas.