(Créditos da imagem: Reprodução).

Uma nova pesquisa da Universidade Temple e da Universidade de Pittsburgh, ambas na Pensilvânia, demonstrou que a extração do DNA do HIV-1 de células contaminadas em hospedeiros animais poderá eliminar mais recontaminações de novas células. O estudo é o primeiro a demonstrar que a replicação do HIV-1 pode ser interrompida e o vírus eliminado utilizando o sistema de engenharia genética CRISPR/Cas9. Esse sistema permite que cientistas modifiquem genomas com uma precisão nunca antes atingida, além de eficiência e flexibilidade.

A pesquisa baseia-se em um estudo prévio de prova de conceito realizado pela equipe em 2016, o qual utilizou modelos transgênicos de roedores para comprovar o DNA de HIV-1 no genoma do hospedeiro, podendo ser eliminado com o sistema CRISPR/Cas9 ministrado por um vetor viral recombinante adeno-associado.

O autor principal, Wenhui Hu, da Universidade Temple, comentou: “Nosso novo estudo é mais abrangente; nós confirmamos os dados do nosso trabalho anterior e melhoramos a eficiência de nossa estratégia de edição de genes”.

A equipe reconfirmou resultados anteriores e demonstrou que seu sistema reduziu a expressão de RNA viral entre 60 e 95% em camundongos transgênicos. O grupo realizou um teste no sistema imunológico de camundongos com uma contaminação equivalente ao HIV-1, o EcoHIV. Eles utilizaram imagens de bioluminescência viva para visualizar células contaminadas com HIV-1, informando que o tratamento com um sistema CRISPR/Cas9 reduziu a contaminação sistêmica de EcoHIV.

O pesquisador Kamel Khalil explicou: “Com os camundongos contaminados com o EcoHIV, fomos capazes de investigar a capacidade de estratégia do CRISPR/Cas9 para bloquear replicação viral e potencialmente prevenir a contaminação sistêmica”.

Publicidade

Finalmente, a equipe testou o sistema de edição de genes em modelos de camundongos humanizados contaminados por HIV-1. Os pesquisadores descobriram que o tratamento com os fragmentos virais foram eliminados ​​com sucesso das células hospedeiras por meio do sistema CRISPR/Cas9.

Este é o primeiro estudo a demonstrar a excisão in vivo do DNA proviral HIV-1 pelo sistema CRISPR/Cas9 e representa um passo significativo em direção a testes clínicos em humanos, podendo alavancar mais pesquisas para uma cura permanente do HIV.

Adaptado de Martha Powel para o Infectious Disease Hub.

Referências:

  1. YIN, Chaoran et al. “In Vivo Excision of HIV-1 Provirus by saCas9 and Multiplex Single-Guide RNAs in Animal Models”; ScienceDirect. Acesso em: 19 set. 2017.
  2. ZHANG, Sarah. “Tudo o que você precisa saber sobre a CRISPR, nova ferramenta de edição de DNA”; Gizmodo. Acesso em: 19 set. 2017.
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 17 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.