(Créditos da imagem: Julius Csotonyi/The University of Calgary/Royal Tyrrell Museum/AFP).

Uma equipe de cientistas divulgou a descoberta de uma nova espécie de dinossauro que viveu no período Cretáceo — entre 145 a 65 milhões de anos atrás. O Thanatotheristes degrootorum — termo grego para “Ceifador da Morte” — é considerado o membro mais antigo da família T. rex já descoberto na América do Norte e media cerca de oito metros de comprimento.

“Escolhemos um nome que incorpore o que esse tiranossauro era como o único predador de ápice conhecido do seu tempo no Canadá, o ceifador da morte”, disse Darla Zelenitsky, professora assistente de Paleobiologia de Dinossauros na Universidade de Calgary. “O apelido passou a ser Thanatos [Thanatos é o deus grego da morte]”, disse ela à AFP.

O espécime de 79 milhões de anos foi descoberto por Jared Voris, um estudante de doutorado em Calgary, e é a primeira nova espécie de tiranossauro encontrada há 50 anos no Canadá.

Publicidade
(Créditos da imagem: Julius Csotonyi/The University of Calgary/Royal Tyrrell Museum/AFP).

“Existem poucas espécies de tiranossauros, relativamente falando”, disse Zelenitsky, coautor do estudo publicado na revista Cretaceous Research. “Devido à natureza da cadeia alimentar, esses grandes predadores de ápice eram raros em comparação com dinossauros herbívoros ou onívoros”, explicou Zelenitsky.

O estudo descobriu que o Thanatos tinha um focinho longo e profundo, semelhante aos tiranossauros mais primitivos que viviam no sul dos Estados Unidos. Os pesquisadores sugeriram que a diferença nas formas do crânio do tiranossauro entre as regiões pode ter sido devido a diferenças na dieta e dependente das presas disponíveis na época.

Os paleontólogos esperam que com esta nova descoberta possam preencher algumas lacunas que ainda impedem melhor compreensão do desenvolvimento da espécie. [ScienceAlert].

Publicidade