Uma nuvem galáctica escura semelhante à Nebulosa do Saco de Carvão (imagem acima) foi vista pela primeira vez no ato de gerar hidrogênio molecular. (Créditos da imagem: ESO/Digitized Sky Survey 2/Davide De Martin).

Uma nuvem gelada de gás molecular na Via Láctea está dando aos astrônomos uma visão rara de um dos primeiros passos na formação de estrelas.

As menores e mais fundamentais moléculas do Universo são criadas quando dois átomos de hidrogênio se ligam para formar moléculas de hidrogênio (H2). Esse processo geralmente ocorre em nuvens escuras e frias. Mas a formação da molécula é raramente observada, porque é difícil distinguir hidrogênio atômico e molecular de outros tipos de moléculas e um do outro.

Pei Zuo e Di Li nos Observatórios Astronômicos Nacionais da Academia Chinesa de Ciências, em Pequim, e seus colegas, usaram o radiotelescópio de Arecibo em Porto Rico para observar nuvens escuras. Os pesquisadores descobriram que uma nuvem tinha uma “casca” externa de hidrogênio atômico que estava sendo convertido em hidrogênio molecular — a primeira detecção desse tipo de conversão de uma nuvem escura.

Uma análise mais aprofundada da taxa de formação de H2 sugere que a nuvem tem cerca de seis milhões de anos. Essa descoberta pode ajudar a restringir modelos de formação de estrelas, planetas e galáxias, escrevem os autores.

Referência:

  1. ZUO, Pei et al. “Catching the Birth of a Dark Molecular Cloud for the First Time”; The Astrophysical Journal, 2018. Acesso em: 20 nov. 2018.
Fonte:Nature
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 17 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.