(Créditos da imagem: iStock/Getty Images).

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis, nos Estados Unidos, afirmam que fizeram progressos significativos para o desenvolvimento de um exame de sangue que pode detectar o Alzheimer 20 anos antes dos primeiros sintomas aparecerem.

Eles esperam que o exame ajude no futuro acelerando o processo de triagem para potenciais participantes de ensaios clínicos, de acordo com o The New York Times — e, no processo, acelerar o caminho para um tratamento contra o Alzheimer.

“Neste momento, selecionamos pessoas para testes clínicos com exames cerebrais, o que é demorado e caro, e a inscrição de participantes leva anos”, disse Randall Bateman, professor de neurologia da Universidade de Washington e autor sênior do estudo, em um comunicado. “Mas com um exame de sangue, poderíamos potencialmente rastrear milhares de pessoas por mês.”

Publicidade

O exame de sangue mede os níveis de beta-amiloide, uma proteína que é encontrada no cérebro dos pacientes de Alzhheimer — um teste que atualmente pode ser realizado apenas através de um exame PET (que é muito caro).

Entretanto, o exame ainda não está pronto para se tornar um teste de diagnóstico completo: a taxa de sucesso do novo exame foi de apenas 88% em um experimento envolvendo 158 adultos com mais de 50 anos.

O teste pode, no entanto, ajudar os futuros profissionais da área de saúde a rastrearem a doença de Alzheimer em questão de anos — e quanto mais cedo os médicos puderem detectar sinais dessa “doença silenciosa”, melhor. [Futurism, Sociedade Científica].

Publicidade