(Créditos da imagem: Reprodução).

Quem nunca bocejou ao ver outra pessoa fazer o mesmo? Ou então teve uma crise de riso porque outra pessoa estava a rir? Hoje já existem explicações para estas situações: os neurônios-espelho. São cruciais para o comportamento humano. Eles são ativados quando uma pessoa observa a ação de outra pessoa ou animais. Localizados no lobo frontal, estão relacionados com nossa capacidade de compreender, imitar e aprender.

Localizado na parte da frente do cérebro, o lobo frontal planeja as ações e os movimentos voluntários. (Créditos da imagem: Database Center for Life Science [DBCLS]).
Os neurônios-espelho estão relacionados também com nossas emoções. Nós conseguimos, muitas vezes, identificar a emoção das pessoas apenas olhando para seus rostos. Por isso quando vemos alguém caindo, em perigo ou triste, podemos sentir o medo, a dor ou até mesmo a tristeza, como se fossem nossa. Isso ocorre porque os neurônios-espelho interpretam a ação de outras pessoas. Já percebeu como é mais fácil rir na companhia de outras pessoas? É o que acontece com o bocejo ou com a vontade de chorar ao ver outras pessoas chorando.

Os neurônios-espelho também explicam o porquê de muitos programas de TV utilizarem sons de risadas quando algo engraçado acontece: estimular você a rir, mesmo que o acontecimento não seja tão engraçado. (Créditos da imagem: Reprodução).

Essas funcionalidades não são exclusivas de adultos, muito pelo contrário. Os bebês aprendem muito através das imitações, como quando mostramos a língua para eles, quando repetimos palavras como mamãe e papai.

Grande busca para o tratamento e compreensão de diferentes graus de Transtorno do Espectro Autista (TEA) está nos neurônios-espelho. Crianças com TEA possuem dificuldade em se comunicar, expressar, compreender e imitar sentimentos como felicidade, medo ou tristeza. Essas características podem estar associadas às falhas no sistema dos neurônios-espelho.

Nós, seres humanos, somos muito sociáveis e empáticos, e muita dessas características se dão graças a esses neurônios tão especiais.

Publicidade

Ah, e da próxima vez que se olhar no espelho sorria! Pois assim, seus neurônios-espelho poderão entender que você está feliz!

Referências:

  1. TOLEDO-LEAL, Gustavo. “Neurônios-espelho e o representacionalismo. Revista Filos, 2010.
  2. MENDES, Aline K. et al. “Neurônios-espelho. Neurociências, 2008.
  3. American Psychiatric Publishing. “Diagnostic and statistical manual of mental disorders (5th Edition). Acesso em: 08 abr. 2018.
Compartilhe:
Renê Seabra Oliezer
Biólogo, mestrando em Ciências pelo Departamento de Psicobiologia da FFCLRP/USP. Apaixonado pelos poderes do sistema nervoso. Membro associado ao INeC e SBNEC.

1 comentário

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.