(Créditos da imagem: Malith D. Karunarathne/Unsplash).

De acordo com a última notícia da NASA, a agência espacial tem uma “nova descoberta emocionante sobre a Lua” para anunciar nesta segunda-feira, 26 de outubro.

De Signe Dean para o ScienceAlert.
Traduzido por Julio Batista.

Curiosamente, os novos resultados são cortesia do Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy (SOFIA). É o maior observatório aerotransportado do mundo e é, na verdade, um avião Boeing 747SP com um furo aberto, modificado para carregar um grande telescópio refletor.

Ao contrário dos telescópios de solo, o SOFIA voa cerca de 11 quilômetros acima da superfície, no alto da estratosfera do nosso planeta. Nessa altura, o observatório pode se elevar acima dos 99 por cento da atmosfera que bloqueia os comprimentos de onda do infravermelho, permitindo estudar o Universo infravermelho.

LEIA TAMBÉM: Pedaços de Vênus podem estar na superfície da Lua

Certamente é um avião atarefado. Os instrumentos do SOFIA forneceram anteriormente uma detecção de oxigênio na atmosfera marciana, a primeira detecção de uma ligação molecular no espaço, inúmeras medições infravermelhas que nos ajudaram na compreensão de colisões de exoplanetas e dos corações de galáxias e muito mais — incluindo esta impressionante visão infravermelha do centro de nossa Via Láctea, abaixo:

(Créditos da imagem: NASA/SOFIA/JPL-Caltech/ESA/Herschel).

Desta vez, o observatório voltou a sua atenção para um lugar muito mais perto de casa. A “nova descoberta contribui para os esforços da NASA em aprender sobre a Lua, servindo de base para o exploração do espaço profundo”, afirma a agência.

Os participantes da conferência de mídia incluem Naseem Rangwala do Centro de Pesquisa Ames da NASA, que é uma cientista do projeto da missão SOFIA, e Jacob Bleacher, cientista-chefe de exploração da Diretoria de Missões de Explorações e Operações Humanas da NASA.

LEIA TAMBÉM: Nova “minilua” da Terra pode ser um objeto feito por humanos

Saberemos mais sobre a descoberta na segunda-feira, mas a NASA deixa claro que terá alguma influência no programa Artemis — o ambicioso plano de enviar humanos de volta à superfície lunar em 2024 como um ponto de partido para iniciar a exploração de Marte em 2030.

A conferência por áudio será transmitida ao vivo no site da agência às 13h00 (horário de Brasília) na segunda-feira, 26 de outubro.

Com informações do ScienceAlert.

Este texto foi originalmente publicado por Universo Racionalista. Leia o original aqui.