(Créditos da imagem: King's College Hospital/AFP).

Uma violinista tocou o seu instrumento musical para ajudar os cirurgiões a evitar danos ao seu cérebro durante uma cirurgia para remover um tumor em um hospital britânico.

Os cirurgiões apresentaram a nova abordagem para garantir que as áreas do cérebro de Dagmar Turner responsáveis ​​por movimentos intrincados das mãos não fossem afetadas durante o procedimento.

Turner, uma música de 53 anos da Orquestra Sinfônica de Isle of Wight, no sul da Inglaterra, foi diagnosticada em 2013 com um tumor de crescimento lento após sofrer uma convulsão durante um concerto. No mês passado, ela finalmente procurou a cirurgia.

A professora Keyoumars Ashkan, neurocirurgiã consultora do King’s College Hospital, em Londres, propôs um plano para proteger as células vitais localizadas no lobo frontal direito do cérebro. A área fica próxima à parte do cérebro que controla os micro-movimentos da mão esquerda necessários para regular o tom e o timbre de um violino.

A equipe médica sugeriu que Turner fosse acordada no meio do procedimento para que ela pudesse tocar e ser monitorada para garantir que sua coordenação não estivesse sendo afetada.

Uma gravação da cirurgia mostrou Turner tocando violino enquanto os médicos monitoravam seus movimentos. Confira:

“Realizamos cerca de 400 ressecções [remoção de tumores] a cada ano, que geralmente envolve pacientes acordados para realizar testes de linguagem, mas essa foi a primeira vez que um paciente tocou um instrumento”, disse Ashkan em um comunicado. “Conseguimos remover mais de 90% do tumor, incluindo todas as áreas suspeitas de atividade agressiva, mantendo a função completa na mão esquerda”, acrescentou. [ScienceAlert].