(Créditos da imagem: Reprodução).

Recentemente, a sonda Curiosity, por meio de medições no solo marciano, encontrou uma molécula orgânica conhecida como tiofeno, de acordo com um artigo publicado na revista Astrobiology. O tiofeno é geralmente encontrado em estromatólitos, microfosséis, carvão, petróleo e cogumelos-trufa-branca. Essa descoberta pode ser um indicativo de que Marte sustentou a vida no passado ou ainda a tenha.

“Identificamos várias vias biológicas para tiofenos que parecem mais prováveis ​​que as químicas, mas ainda precisamos de provas”, disse Dirk Schulze-Makuch. “Se você encontrar tiofenos na Terra, você pensaria que eles são biológicos, mas em Marte, é claro, a barra para provar que isso precisa ser um pouco maior”, acrescentou.

Segundo os especialistas, as moléculas de tiofeno são compostas por duas substâncias essenciais para a vida que conhecemos, as moléculas possuem quatro átomos de carbono e um átomo de enxofre. Mesmo com a descoberta, Schulze-Makuch se manteve cético quanto a possibilidade de vida, ressaltando que outros processos podem explicar as moléculas, como o impacto de meteoritos no passado do Planeta Vermelho.

Curiosity perfurando o solo marciano. (Créditos da imagem: NASA).

“Nas palavras de Carl Sagan: alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias”, observou o cientista. “Acho que a prova realmente exigirá o envio de pessoas à Marte para que um astronauta olhe através de um microscópio e veja um micróbio se mexendo”, finalizou.