(Créditos da imagem: Reprodução).

Em 1778, o pintor David entregou um retrato de corpo inteiro de Lavoisier e sua esposa. O casal foi retratado com Marie-Anne repousando suavemente sobre os ombros do marido, em uma pose doméstica familiar, mas seu braço direito está mais vigorosamente estendido até a mesa, reforçando a mão de Lavoisier, que segura a pena (BELL, Lavoisier no Ano UM, 2007).

Retrato de Antoine Lavoisier e sua esposa é um retrato pintado a óleo de Antoine Lavoisier e da sua mulher Marie-Anne Pierrette Paulze pelo artista francês da corrente do neoclassicismo Jacques-Louis David em 1788. A obra foi encomendada por Marie-Anne. (Créditos da imagem: Reprodução).

Sem dúvida nenhuma, pintar um quadro com a esposa não era comum para a época de Lavoisier, geralmente víamos cientistas retratados sozinhos como se fosse um grande gênio e que todo conhecimento emanava dele.

O casamento de Antoine e Marie Anne inicialmente foi arranjado pelo pai da moça, ela iria se casar com um conde muito mais velho que ela; a sua “sorte” foi que Lavoisier, muito mais novo e rico, o seu sogro que integrava a Ferme Generale(o ministério da fazenda francês), concedeu a mão da sua filha ao “químico” francês.

Apesar de ser algo arranjado, Marie Anne logo se interessou pelo hobby científico do marido. Teve aulas de química com alguns companheiros de Lavoisier e logo estava totalmente inteirada do assunto. Excelente desenhista, observava os experimentos e relatava através de imagens belíssimas as pesquisas de seu marido e grupo de pesquisa, demonstrando um grande trabalho docente para a época em que a ciência era algo apenas para a elite.

Se não fosse sua esposa, as ideias de Lavoisier e seu grupo seriam menos difundidas, na época a ciência era prioritariamente inglesa, o que significa dizer que o idioma da ciência não era o de Lavoisier. Ele só conseguiu difundir as suas ideias e ser lido pelos demais cientistas porque Marie Anne traduziu os seus textos do francês para o inglês.

Com certeza absoluta, a esposa de Lavoisier não estava atrás dele, estava ao lado. Reconhecendo o seu papel, podemos afirmar que ela foi uma das tantas mãos que construiu a lei de conservação das massas como base da química moderna. Se hoje discutimos sobre a importância das mulheres na ciência e temos tantos exemplos de sucesso, isso deve-se ao fato de que algumas delas quebraram paradigmas, dentre as quais, citamos Marie Anne Lavoisier que foi muito além do que era esperado para uma esposa em sua época.

Quer saber mais? Os Livros Lavoisier no “Ano UM de Bell” e “Lavoisier: O estabelecimento da Química Moderna” de Carlos Alberto Filgueiras são excelentes!

Lucas Guimarães
Doutorando em Ensino de Ciências, mestre em Ensino de Ciências, professor de Ciências e Química da Rede Municipal de Ensino de Barra Mansa e Volta Redonda e autor do livro "Lavoisier na Sala de Aula". Atualmente desenvolvo a função de articulador de ciências na rede municipal de Barra Mansa (RJ), além de um trabalho de metodologias ativas aplicadas no laboratório de ciências no Colégio Espaço Verde. Tenho interesse de pesquisa na área de História da Ciência no Ensino