O pesquisador Carlos Cleomir de Souza Pinheiro entre mudas de gengibre amargo. (Créditos da imagem: Reprodução).

Carlos Cleomir de Souza Pinheiro, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), desenvolveu, após 20 anos de estudos, um hidrogel à base de gengibre amargo que é capaz de evitar amputações das extremidades em pacientes que sofrem de diabetes. De acordo com o pesquisador, o medicamento chegará ao mercado ainda neste ano.

O hidrogel foi testado em 27 pacientes diabéticos que sofriam com úlceras nos pés indicadas para amputação — e alcançou a cura em 95% dos casos. Segundo o pesquisador, a cura se dá a partir do potencial cicatrizante, anti-inflamatório, analgésico e vasodilatador que o gengibre amargo oferece.

Para produzir o fármaco, Pinheiro criou a Biozer da Amazônia, empresa incubada no INPA, visando produzir o gengibre amargo e viabilizar a chegada do hidrogel ao mercado. Este resultado é fruto de uma parceria entre a Unicamp, a Faculdade de Medicina do ABC, a Universidade Federal do Amazonas, a Universidade do Estado do Amazonas e a Fundação de Controle da Oncologia do Estado do Amazonas.

Publicidade

Conforme o pesquisador, a comercialização do produto está prevista para o final deste ano, após a liberação da Anvisa. [Hypeness].

Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.