(Créditos da imagem: BRAMON).

O fenômeno, chamado de jato gigante, foi registrado na Paraíba por uma câmera da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON). Este jato gigante é o segundo registrado no estado da Paraíba.

O fenômeno foi registrado usando uma câmera experimental BRAMON em João Pessoa, que monitora o céu 24 horas por dia em Full HD. Confira o vídeo:

Este relâmpago foi formado a partir de uma nuvem de tempestade próxima a Caicó, no estado do Rio Grande do Norte, a cerca de 250 km de onde foi registrada, em João Pessoa.

O jato gigante é o mais raro dos eventos luminosos transitórios (TLEs, na sigla em inglês), que são fenômenos muito curtos que ocorrem acima das nuvens de tempestades. Os TLEs estão associados a descargas elétricas comuns, também conhecidas como descargas atmosféricas, dentro de tempestades. Os TLEs mais comuns são sprites, que também foram registrados na Paraíba algumas vezes. Existem também outros TLEs, como elves, halos, trolls, blue starters e blue jets (jatos azuis).

Eventos luminosos transitórios. (Créditos da imagem: Frankie Lucena).

Os jatos gigantes são considerados uma variação dos jatos azuis que se desenvolveram mais intensamente e evoluíram. A teoria mais aceita é que os jatos gigantes se formam entre duas regiões de cargas opostas em uma nuvem de tempestade e depois disparam para a ionosfera, atingindo até 90 km de altitude e formando, em sua parte mais alta, ramos avermelhados.

Os jatos gigantes são tão raros que foi apenas em 2017 que o primeiro vídeo foi realizado no Brasil, realizado na Paraíba, em Taperoá, e gravado em Campina Grande. [BRAMON].