Cientistas identificaram água líquida extraterrestre rica em dióxido de carbono dentro de um meteorito formado há 4,6 bilhões de anos. A descoberta sugere que o asteroide se formou além da órbita de Júpiter.

Continua após a publicidade

A água, em qualquer forma, é onipresente em todo o Sistema Solar. Você irá encontrá-la na Terra, na Lua , nos anéis de Saturno, nos cometas, em Marte ou mesmo até mesmo em Titã e Enceladus. A onipresença da água é indiscutível.

Os pesquisadores observaram inclusões de água líquida dentro de cristais de sal localizados em uma classe de meteoritos chamados condritos comuns, que constituem a grande maioria de todos os meteoritos registrados na Terra. Até agora, porém, esse precioso recurso nunca havia sido encontrado em meteoritos condritos carbonáceos, formados muito cedo na história do Sistema Solar.

No estudo, publicado na revista Science Advances, a equipe de cientistas da Universidade Ritsumeikan, no Japão — liderada por Akira Tsuchiyama — utilizou técnicas de microscopia para examinar fragmentos do meteorito nomeado de “Sutter’s Mill”.

Continua após a publicidade

A presença de inclusões de água líquida no meteorito Sutter’s Mill tem implicações interessantes sobre as origens do asteroide deste meteorito. Diante dos resultados, os pesquisadores acreditam que o objeto provavelmente foi formado a partir de fragmentos de água congelada e dióxido de carbono. Se for esse o caso, significa que se desenvolveu além da órbita de Júpiter, para então migrar para dentro do Sistema Solar.

A descoberta expande nossa compreensão de como os planetas evoluíram em nosso Sistema Solar e pode ajudar na busca pela origem da água da Terra. 

Existem muitas teorias sobre onde e como a Terra obteve sua água. Uma das principais teorias sugere que a água caiu na Terra, presa dentro de objetos como meteoritos. De acordo com essa teoria, as moléculas de água incorporadas nas estruturas cristalinas dos minerais nessas rochas espaciais podem ser uma das fontes de água da Terra, explica Tsuchiyama em um comunicado.

Continua após a publicidade

“Embora a quantidade de água líquida encontrada no presente estudo é muito pequena, o estudo dá evidências da presença dessa água líquida”, diz Tsuchiyama.  “Em outras palavras, se a água nesses minerais contribuiu para a água da Terra, então ela pode ser considerada o ‘pai’ da água da Terra, e os meteoritos que hospedam esses minerais, portanto, o ‘material avô da água da Terra’”, completa.

Com informações de Space.
Publicado originalmente por SoCientíficaLeia o original aqui.