(Créditos da imagem: The Hacksmith).

O engenheiro James Hobson, do canal The Hacksmith, mostrou um sabre de luz real, do tipo usado pelos Jedis no filme Star Wars, poderoso o suficiente para cortar uma porta de aço. Incrível, não é mesmo?

Sobre o equipamento, o líder da equipe de engenheiros afirma que se trata do “primeiro sabre de luz retrátil baseado em plasma do mundo”.

Seu punho, construído no estilo steampunk, é capaz de enviar um fluxo laminar de gás propano líquido comprimido e também de oxigênio, que queima a uma temperatura, pasmem, de 2,2 mil graus Celsius.

LEIA TAMBÉM: A invenção do zero foi uma revolução

A queima, por sua vez, ocorre de forma concentrada através de bicos laminares utilizados pelos construtores de forma que permite o escape de um fluxo extremamente concentrado de gás, formando um feixe de plasma. Esses bicos são os mesmos utilizados na indústria para soprar o vidro incandescente e custam algo em torno de US$ 4 mil cada.

O primeiro efeito notável de um sabre de luz é a sua a cor

Ela é obtida por meio da adição de alguns produtos químicos à mistura. Exemplo: colocando cloreto de sódio, o feixe do sabre se torna amarelo, como o da Rey (Daisy Ridley) no Episódio IX: A Ascensão de Skywalker.

Ácido bórico torna o feixe verde, o cloreto de estrôncio deixa-o vermelho e o de cálcio traz uma cor âmbar.

O segundo item do sabre de luz, importante por sinal, é a energia, seria necessário uma usina nuclear para ser como a que vemos nos filmes, de acordo com Hobson.

Na falta de uma usina disponível, o canal The Hacksmith adaptou uma mochila personalizada para servir de fonte, com um circuito que controla o fluxo de gás.

Para finalizar, quanto à força, o sabre artesanal mostrou-se supereficiente ao passar direto por uma porta de aço.

Confira o vídeo abaixo:

Com informações do Engenharia É.

Este texto foi originalmente publicado por Realidade Simulada. Leia o original aqui.