Gnathovorax cabreirai em vida na concepção do paleoartista Márcio L. Castro. (Créditos da imagem: Márcio L. Castro).

Descoberto em 2014 no Rio Grande do Sul, Gnathovorax cabreirai já impressionava na época pelo seu estado de conservação, com quase todas as suas articulações preservadas. Agora, um novo estudo publicado na revista PeerJ mostra que o fóssil é ainda mais valioso: é um dos mais antigos dinossauros carnívoros já encontrados no mundo.

Não, não eram todos os dinossauros carnívoros; na verdade, eles eram, em sua maioria, herbívoros. São raros os fósseis de dinossauros predadores encontrados; a maioria deles são da América do Sul. Embora a maioria dos fósseis Herrerasauridae sejam encontrados em solo argentino, pouco sabemos sobre a família, já que, em sua maioria, estão pouco conservados. O ótimo estado de preservação deste se deve por uma camada de arenito em seu entorno.

(Créditos da imagem: Márcio L. Castro).

O fóssil pode nos trazer muitas novas descobertas sobre a anatomia do grupo, tais como o inesperado aumento na diversidade, já que difere mais do que o esperado, anatomicamente, dos outros Herrerasauridae conhecidos. Ele pode medir até 3 metros de comprimento, um tamanho muito superior aos outros dinossauros carnívoros, que, ao contrário do que se pensa, eram bem pequenos; alguns podiam medir o tamanho de um cachorro.

Publicidade

Até o momento, por meio de tomografia computadorizada, foi possível analisar até mesmo a neuroanatomia do animal, e entender um pouco de seu desenvolvimento cerebral.

Gnathovorax” significa mandíbulas vorazes, e o “cabreirai”, é uma homenagem a Sérgio Furtado Cabreira, o descobridor do fóssil. 

Publicidade

Vale reiterar que esse trabalho foi financiado pelo CNPq, pela CAPES e pela Fapergs (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul), o que demonstra a importância do investimento público na ciência nacional, que corre grande risco, dadas as ameaças dos últimos anos.

Referências:

  1. PACHECO, Cristian, et al. “Gnathovorax cabreirai: a new early dinosaur and the origin and initial radiation of predatory dinosaurs”; PeerJ, 2019. Acesso em: 12 nov. 2019.
  2. Jornal USP. “Mandíbula voraz: conheça o dinossauro predador mais antigo do Brasil”. Acesso em: 12 nov. 2019.
Compartilhe:
Avatar
Mais um insignificante humano habitando um pálido ponto azul no vasto oceano cósmico circundante. Com minha ilusória auto-importância, característica humana, me aventuro pelo jornalismo científico. Apaixonado pela ciência desde criança, sou uma das poucas pessoas que como diz Carl Sagan, “passam pelo sistema com sua admiração e entusiasmo intactos”. Atualmente faço o ensino médio em uma ETEC e escrevo para o Ciencianautas.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.