O DNA obtido de restos mortais de pessoas que habitavam uma cidade antiga na costa de Israel, incluindo essa criança, indica que os Filisteus mencionados na Bíblia Hebraica descendem de europeus navegantes. (Créditos da imagem: Robert Walch/Leon Levy Expedition to Ashkelon).

Pistas genéticas obtidas dos ossos dos Filisteus, um povo conhecido do Antigo Testamento por suas batalhas com os israelitas, removeram parte do mistério de suas origens nebulosas.

O DNA extraído dos restos de 10 indivíduos enterrados em Ashkelon, uma antiga cidade portuária filistéia em Israel, mostra ligações moleculares com populações antigas e modernas no leste do Mediterrâneo, relatou o arqueogeneticista Michal Feldman e seus colegas. Os moradores de Ashkelon carregaram a assinatura genética do sul da Europa entre 3.400 e 3.150 anos atrás, mas ela desapareceu rapidamente conforme o aumento do acasalamento dos habitantes locais, concluem os pesquisadores em um artigo publicado na revista Science Advances.

Evidências genéticas de Ashkelon se encaixam em um cenário em que populações de marinheiros do sul da Europa fugiram do colapso das sociedades da Idade do Bronze há mais de 3 mil anos e se estabeleceram ao longo da costa leste do Mediterrâneo, onde foram apelidados de Filisteus. Estudos antigos de DNA podem ajudar a identificar as origens precisas dos Filisteus, diz Feldman, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana em Jena, na Alemanha, e seus colegas.

Publicidade

O DNA é mal preservado em regiões quentes e secas, como o Oriente Médio. Os pesquisadores conseguiram recuperar o DNA nuclear, herdado de ambos os pais, de 10 esqueletos: três indivíduos do final da Idade do Bronze enterrados em Ashkelon há cerca de 3.600 anos; quatro crianças do início da Idade do Ferro foram enterradas sob casas de Ashkelon entre cerca de 3.400 e 3.150 anos atrás; e três indivíduos posteriores da Idade do Ferro enterrados em um grande cemitério ao lado da muralha da cidade de Ashkelon, a cerca de 3.100 anos atrás. O DNA do sul da Europa apareceu pela primeira vez nos primeiros jovens da Idade do Ferro, na época em que os achados arqueológicos indicaram que os Filisteus habitavam Ashkelon, mas haviam desaparecido pela maior parte da Idade do Ferro. [ScienceNews].

Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.