Alguns dos fósseis do titanossauro encontrados na província de Loja, no Equador. (Créditos da imagem: Federico Kukso).

Fósseis de um titanossauro anteriormente desconhecido foram encontrados no Equador. O dinossauro de médio a pequeno porte viveu há 85 milhões de anos, durante o período conhecido como Cretáceo Superior. Seus restos foram descobertos no extremo sul do país, na província de Loja. É a primeira vez que fósseis de dinossauros foram identificados no Equador.

Descobrindo um novo titanossauro

Os fósseis do titanossauro, de nome científico Yamanasaurus lojaensis, são os primeiros do gênero e foram descobertos por um fazendeiro em rochas próximas ao rio Playa, na paróquia de Yamana. Segundo um relatório do jornal El Universo, os fósseis foram repassados ​​até que se tornaram propriedade do Estado.

Em agosto de 2018, o paleontólogo argentino Sebastián Apesteguía, da Universidade Maimónides, foi convocado pelos professores John Soto, José Tamay e Galo Guamán, da Universidade Técnica de Loja (UTPL, na sigla em inglês), para dar uma conferência e fornecer uma opinião de especialista sobre os fósseis. Apesteguía disse ao El Universo que lhe pediram para verificar se os fósseis eram de um dinossauro e se ele poderia dizer aos professores alguma coisa sobre a extinta criatura. Ele podia e fez.

“Foi um choque”, disse Apesteguía. “O material que eles me mostraram foi incrível, porque são claramente as duas últimas vértebras sacrais de um titanossauro. Mais tarde, meu colega Pablo Gallina e eu fomos capazes de descobrir exatamente que tipo de titanossauro, mas naquele momento não havia dúvida de que era um dinossauro de tamanho médio a pequeno”, acrescentou.

Um artigo sobre a descoberta, publicado na Cretaceous Research, afirma que os fósseis do Yamanasaurus lojaensis incluem “um sacro parcial, uma vértebra caudal média parcial e vários ossos de membros associados” e a “morfologia, tamanho e idade sugerem que o Yamanasaurus está intimamente relacionado com o Neuquensaurus, sendo de longe o mais setentrional conhecido”.

Demostração do tamanho do titanossauro em comparação com uma mulher adulta e os fósseis encontrados (em vermelho). (Créditos da imagem: Federico Kukso).

Como era o dinossauro?

Os processos técnicos foram realizados em Loja e as análises dos resultados em Buenos Aires. Quando as vértebras foram examinadas, os especialistas não encontraram a presença de câmaras, que são mais comumente encontrados em Saltasaurus titanosaurus (um dinossauro que data o Cretáceo Final com fósseis encontrados na Argentina), mas uma textura que era mais esponjosa. Isto significa que o titanossauro era mais parecido com um Neuquensaurus australis (um gênero de dinossauro que data o mesmo período, mas que deixou fósseis na Argentina e no Uruguai).

Munido com esta informação, Apesteguía disse ao El Universo que a imagem de como era o dinossauro ficou clara.

“A comparação das vértebras, especialmente as vértebras caudais do Neuquensauro e dos Saltassauros patagônicos, têm exatamente a mesma forma e tamanho. Isso significa que o animal é idêntico ao Neuquensauro, incluindo a estrutura interna dos ossos. Portanto, não foi necessário inventar muito. É basicamente colocar as partes que temos do Yamanasaurus no esqueleto de um Neuquensaurus. É realmente muito simples. Eles são praticamente idênticos”, explicou o pesquisador.

Análise de uma das vértebras. (Créditos da imagem: El Universo).

Os pesquisadores acreditam que o titanossauro era um herbívoro que provavelmente comeu árvores pequenas. Mas o que Apesteguía quer dizer quando diz que o Yamanasaurus lojaensis é um dinossauro de tamanho médio a pequeno? Neste caso, refere-se a uma criatura que mediu aproximadamente seis metros de comprimento, era robusta e tinha uma concha protetora. Sua pele provavelmente também estava coberta de ossos minúsculos para proporcionar maior proteção contra predadores. A reconstrução do primeiro dinossauro conhecido do Equador foi criada pelo paleoartista argentino Jorge González.

Representação artística do Yamanasaurus lojaensis. (Créditos da imagem: Jorge González).

Pode haver mais para encontrar

Os pesquisadores sabem que a descoberta dos fósseis de titanossauro pode significar que há mais para encontrar na região, então já estão planejando uma nova busca. No entanto, os pesquisadores estão preocupados porque, se as autoridades competentes não agirem rapidamente, outras pessoas podem encontrar os fósseis e vendê-los no mercado negro antes dos especialistas começarem as buscas. [Ancient Origins].

Referência:

  1. APESTEGUÍA, Sebastián et al. “The first dinosaur remains from the Cretaceous of Ecuador”; Cretaceous Research, 2019. Aceso em: 14 dez. 2019.