(Créditos da imagem: S. Fedorov).

Um bebê da família canidae que permaneceu congelado por 18 mil anos foi encontrado na Sibéria.

O chamado permafrost, ou seja, a camada de terra e gelo que até hoje esteve sempre congelada, está derretendo devido às mudanças climáticas e, com isso, várias criaturas estão sendo encontradas. Ademais, doenças antigas podem ressurgir devido ao degelo e ameaçam o planeta.

Conforme um comunicado do Center for Paleogenetics, o genoma do animal foi sequenciado duas vezes, mas os cientistas não conseguiram descobrir com exatidão a qual grupo o bebê canino pertence. Por este motivo, eles não sabem se ele é um lobo ou um cachorro, mas algumas hipóteses apontam que o bebê é um elo entre as duas espécies. [Sociedade Científica].

Publicidade
(Créditos da imagem: S. Fedorov).
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.