(Créditos da imagem: Shutterstock).

Um (agora) adolescente de Memphis, Tennessee, pode ser a pessoa mais jovem a ter construído um reator de fusão nuclear em funcionamento. Jackson Oswalt relatou as medições de seu experimento no fórum Open Source Fusor Research Consortium, onde obteve a inspiração e a sugestão de como construir tal dispositivo.

O termo reator nuclear pode relembrar imagens de material radioativo e uma enorme instalação, mas o reator construído por Oswalt não é assim. Ele produziu um mini-reator de fusão, em vez da fissão (que usa urânio para produzir eletricidade). No reator de fusão, os átomos de hidrogênio são transformados em plasma e, em seguida, unidos até se tornarem átomos diferentes. No caso de Oswalt, ele fundiu o deutério, um tipo especial de hidrogênio que contém um nêutron e um próton em seu núcleo.

Para aqueles que não viram minhas publicações recentes, será uma grande surpresa pensar que eu já havia conseguido a fusão. No entanto, ao longo do mês passado, obtive uma enorme quantidade de progresso resultante da correção de grandes vazamentos em meu sistema. Agora tenho resultados que acredito serem dignosescreveu Oswalt em uma publicação em 1º de fevereiro de 2018.

Publicidade

O design e a construção do mini-reator não foram fáceis nem baratos. O projeto demorou cerca de um ano e custou algo entre US$8.000 e US$10.000. Oswalt afirmou que alcançou a fusão em 19 de janeiro, 30 de janeiro e 31 de janeiro. A fusão dos átomos de deutério levou à liberação de nêutrons.

“Você tem que passar pelos aros certos e temos que acreditar em você e ver o que você fez”, disse à Fox News Richard Hull, verificador de consórcio de pesquisa e administrador do website FUSOR. Ele considera Oswalt o mais jovem dos Estados Unidos e, possivelmente, do mundo, a alcançar tal façanha. O recordista anterior foi Taylor Wilson, que alcançou a fusão nuclear em 2008, quando tinha 14 anos.

Publicidade

É válido ressaltar que essas alegações ainda não foram replicadas e os resultados não foram publicados em um periódico de revisão por pares.

A fusão nuclear é o processo físico que alimenta todas as estrelas do Universo. Este processo também mantém a promessa de energia limpa e ilimitada. Como Oswalt demonstrou, podemos fazer a fusão acontecer, mas o que ainda estamos trabalhando para compreender é a capacidade de ter reações sustentadas que liberam mais energia do que gastamos para fazer com que a fusão aconteça.

Fonte:IFLScience
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.