(Créditos da imagem: Reprodução).

A distância entre o estado indiano de Punjab e a cadeia montanhosa dos Himalaias é de apenas 200 quilômetros. E agora, pela primeira vez em quase 30 anos, os moradores do noroeste da Índia podem ver a cadeia montanhosa mais alta do mundo.

A principal razão para isso é a diminuição dos níveis de poluição do ar no país devido às sanções impostas por conta da pandemia de Covid-19.

(Créditos da imagem: Reprodução).

De acordo com um relatório divulgado no final do mês passado pelo Conselho Central de Controle de Poluição da Índia, o toque de recolher em todo o país “resultou em melhoria significativa na qualidade do ar no país”.

A poluição tem sido uma questão alarmante para os moradores da Índia nos últimos anos, pois dezenas de cidades indianas estão no ranking das “cidades mais poluídas do mundo”. Em 2019, das 20 cidades com o ar mais nocivo da Terra, 14 são indianas.

Um barbeiro paquistanês faz a barba de um cliente ao longo de uma estrada em meio a fortes condições de neblina e poluição atmosférica em Lahore. (Créditos da imagem: Getty).

Em novembro de 2019, foi decretado estado de emergência de saúde pública em Nova Delhi, a capital da Índia, porque o índice de qualidade do ar estava três vezes maior ao já considerado perigoso.

Mas não é só na Índia. A China, a Itália e o Oriente Médio relataram quedas nos níveis de poluição do ar. Imagens de satélite revelaram uma queda maciça nos níveis globais de dióxido de nitrogênio.

Comparação da poluição na Itália em janeiro de 2020 (à esquerda), e em março de 2020 (à direita). (Créditos da imagem: Copernicus Sentinel/ESA).

Além disso, sem a circulação dos famosos barcos nos canais de Veneza, na Itália, cardumes de peixes, golfinhos e outros animais começaram a circular pelo local. A água dos canais tornou-se cristalina, mas a prefeitura da cidade afirma que a poluição aquática não diminuiu. [Esquire].