Ilustração de um sistema de energia de fissão na superfície de Marte. (Créditos da imagem NASA).

Membros do projeto Kilopower — uma co-iniciativa da NASA e do Departamento de Energia que trabalha para desenvolver sistemas de energia de fissão para futuras explorações espaciais — afirma que um de seus reatores pode estar pronto para ser enviado para Marte ou outro local distante até 2022.

“Acho que podemos fazer isso em três anos e estar prontos para o vôo”, disse o chefe do projeto, Patrick McClure, conforme citado pela Space.com, durante uma apresentação. A NASA, no entanto, ainda não anunciou oficialmente qualquer cronograma para o projeto.

Um sistema de energia nuclear móvel pode manter as luzes acesas para os astronautas que viajam para a Lua ou Marte. O protótipo de Kilopower é do tamanho de uma geladeira e se encaixa em um foguete. Ele pode fornecer uma base com cerca de 40 quilowatts de energia — eletricidade o suficiente para oito casas na Terra.

Publicidade

Não é a primeira vez que a energia nuclear será aproveitada no espaço. Muitas das naves espaciais da NASA usam energia nuclear para propulsão e operação, incluindo o rover Curiosity, lançado em 2011.

A Kilopower realizou com sucesso testes em solo em 2017 e 2018, mas ainda não experimentou nenhum reator de fissão experimental no espaço.

Publicidade

Mas os testes anteriores tiveram resultados positivos. Durante o teste de 2018, o reator Kilopower converteu o calor de fissão em eletricidade com 30% de eficiência, de acordo com a Space.com. [Futurism].

Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.