(Créditos da imagem: Reprodução).

Em um desenvolvimento que representa um grande avanço para a nossa compreensão de computadores quânticos, usando elétrons e o estranho mundo da mecânica quântica, pesquisadores conseguiram voltar no tempo em um experimento.

Qualquer pessoa que observasse o computador veria o acontecimento como se o tempo estivesse invertido.

Os pesquisadores — do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT), com ajuda de colegas na Suíça e nos Estados Unidos — esperam que a técnica se desenvolva, tornando-se mais confiável e precisa no futuro.

Publicidade

O pesquisador chefe, Dr. Gordey Lesovik, que dirige o Laboratório de Física da Informação Quântica no MIPT, disse: “Nós criamos artificialmente um estado que evolui em uma direção oposta àquela da seta termodinâmica do tempo”.

A “máquina do tempo”, descrita na revista Scientific Reports, consiste em um computador quântico rudimentar composto de “qubits” de elétrons.

Publicidade

Um qubit é uma unidade de informação descrita por um “um”, um “zero” ou uma “superposição” mista de ambos as condições.

No experimento, um “software de evolução” foi lançado, fazendo com que os qubits se transformassem em um padrão de mudança crescente de zeros e uns.

Durante esse processo, a ordem foi perdida. Mas outro programa modificou o estado do computador quântico de tal forma que evoluiu “para trás”. Isso significa que o estado dos qubits foi rebobinado de volta ao seu ponto de partida original.

A maioria das leis da física não faz distinção entre o futuro e o passado. Se uma equação for usada para descrever a colisão e o rebote de duas bolas de bilhar idênticas e o evento for gravado e o vídeo depois for visto ao contrário, o evento invertido ainda pode ser representado pela mesma equação. Também seria impossível distinguir, somente com as leis da física, entre qual é o cenário da vida real e qual é o da reprodução reversa.

Mas o Universo tem uma regra que segue apenas um caminho: a segunda lei da termodinâmica, que descreve a progressão da ordem para a desordem. Se você assistir a um vídeo de, por exemplo, alguém desorganizando um triângulo perfeitamente organizado de bolas de bilhar com uma única tacada, e então assistir isso ao contrário, irá parecer estranho.

Publicidade

O novo experimento é como dar uma tacada tão bem calculada que as bolas rolam de volta para um triângulo perfeito.

Os cientistas descobriram que, trabalhando com apenas dois qubits, a “reversão de tempo” foi alcançada com uma taxa de sucesso de 85%. Quando foram envolvidos três qubits, ocorreram mais erros, resultando em uma taxa de sucesso de 50%.

A taxa de erro deverá cair à medida que os cientistas melhorarem a sofisticação dos dispositivos usados.

Segundo os pesquisadores, o experimento pode ter uma aplicação prática no desenvolvimento de computadores quânticos.

“O nosso algoritmo pode ser atualizado e usado para testar programas desenvolvidos para computadores quânticos e eliminar ruídos e erros”, disse Lesovik.

Publicidade
Fonte:Independent
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.