Ilustração do exoplaneta GJ 357 d. (Créditos da imagem: NASA's Goddard Space Flight Center/Chris Smith).

A apenas 31 anos-luz de distância, um dos mundos mais próximos já detectados pode abrigar água líquida em sua superfície.

O Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) da NASA — um telescópio orbital super-poderoso — avistou um novo planeta circulando uma estrela na constelação de Hydra. Quando os astrônomos verificaram a estrela, eles descobriram mais dois planetas orbitando-a.

Um desses planetas, chamado de GJ 357 d, pode suportar água líquida se o planeta for rochoso e a atmosfera for espessa. Além disso, ele está entre os 45 exoplanetas mais próximos encontrados até hoje, de um total de 4.025 planetas registrados até agora fora do nosso Sistema Solar.

Publicidade
Imagem registrada pelo telescópio espacial TESS como parte de sua primeira rodada de coleta de dados. (Créditos da imagem: TESS/NASA).

Um mundo potencialmente aquoso

Este sistema planetário é o terceiro mais próximo identificado usando o método de “trânsito”, no qual os telescópios observam pequenas quedas no brilho de uma estrela que podem ser causadas por um planeta passando na frente dela. O telescópio Kepler foi pioneiro na técnica, embora a técnica tenha sido aperfeiçoada pelo TESS.

O planeta promissor está na zona habitável da sua estrela-mãe e pode ter a temperatura superficial certa para a água líquida existir.

Publicidade

“O GJ 357-d está localizado dentro da borda externa da zona habitável de sua estrela, onde recebe aproximadamente a mesma quantidade de energia estelar de sua estrela que Marte recebe do Sol”, disse Diana Kossakowski, membro da equipe que descobriu o planeta, em um comunicado à imprensa.

“Se o planeta tiver uma atmosfera densa, ele pode reter calor suficiente para aquecer o planeta e permitir a entrada de água líquida em sua superfície”, disse Kossakowski.

Diagrama do sistema estelar GJ 357. O planeta GJ 357 d orbita a estrela-mãe dentro da zona habitável, a região onde a água líquida pode existir na superfície de um planeta rochoso. (Créditos da imagem: NASA’s Goddard Space Flight Center/Chris Smith).

Se o planeta não tiver atmosfera, no entanto, a temperatura da superfície será bem abaixo do ponto de congelamento da água.

A massa do GJ 357 d é pelo menos 6,1 vezes a da Terra, e o planeta orbita sua pequena estrela a cada 55,7 dias. [Business Insider].

Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.