(Créditos da imagem: Yewloon Lam/Shutterstock).

As baratas são encontradas em todos os lugares com aparentemente poucos problemas. E agora alguns cientistas chineses afirmam ter descoberto o que as torna tão resistentes.

Os pesquisadores, liderados por Sheng Li, da China Normal University, em Guangzhou, sequenciaram o DNA da barata-americana (Periplaneta Americana) e descobriram que a barata tem um conjunto expandido de genes que permite detectar cheiros de alimentos, especialmente alimentos fermentados, de acordo com o The Guardian. Elas também têm um sistema de desintoxicação interno que as protege contra a ingestão de qualquer coisa tóxica e um poderoso sistema imunológico.

“Nossas análises genômicas na barata-americana forneceram conhecimentos sobre seu sucesso na adaptação aos ambientes urbanos e à biologia”, escreveram os pesquisadores em um artigo publicado na Nature Communications.

Publicidade

A barata-americana é encontrada em todos os Estados Unidos, tendo sido introduzida da África no século XVII. Elas têm poucos centímetros de comprimento e são munidas com asas.

As baratas também são conhecidas por sua aparente invulnerabilidade, embora, por isso, elas são encontradas em todos os tipos de lugares. Isso é, em parte, devido às suas habilidades mencionadas acima, mas também porque elas se reproduzem incrivelmente rápido.

Publicidade

De acordo com a National Geographic, as criaturas contém mais de 500 “papilas gustativas”, o que lhes permite comer uma dieta variada e adaptar-se a uma variedade de ambientes. E elas também têm genes que permitem que elas sobrevivam mais facilmente em ambientes tóxicos.

Impressionantemente, as baratas também encontraram genes que permitiram que elas recuperassem membros. A equipe observou em seu trabalho que quando dois genes específicos foram esgotados, a regeneração dos membros foi “completamente vetado”.

“Atualmente, estamos investigando se existe um ‘fator de crescimento’ conectando a regeneração de pernas da barata-americana ao seu extrato de etanol que é usado para cicatrização de feridas e reparo de tecidos em humanos”, disseram eles.

Apesar de suas credenciais impressionantes, a barata-americana está ameaçada pelo aquecimento global. Assim, os cientistas esperam que a partir do estudo desse inseto possamos melhorar o controle de sua população e também aprender sobre suas superpotências de insetos.

Adaptado de Jonathan O`Callaghan para o IFLScience.

Referências:

  1. LI, Sheng et al. “The genomic and functional landscapes of developmental plasticity in the American cockroach”; Nature Communications. Acesso em: 22 mar. 2018.
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 18 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.