(Créditos da imagem: Etienne Boulanger via Unsplash/Victor Tangermann).

Você não precisa de um computador para criar inteligência artificial. Na verdade, você nem precisa de eletricidade.

Em uma pesquisa extraordinária, cientistas da Universidade de Wisconsin-Madison descobriram uma maneira de criar um vidro artificialmente inteligente capaz de reconhecer imagens sem a necessidade de sensores, circuitos ou até mesmo de uma fonte de energia.

“Estamos sempre pensando em como forneceremos visão para as máquinas no futuro”, disse o pesquisador Zongfu Yu em um comunicado à imprensa. “Isso [a descoberta] muda quase tudo sobre como projetamos a visão das máquinas.”

Em um estudo publicado na revista Photonics Research, os pesquisadores descrevem como eles criaram uma folha de vidro “inteligente” que pode identificar dígitos manuscritos.

Para realizar a façanha, eles começaram colocando diferentes tamanhos e formas de bolhas de ar em pontos específicos e estratégicos dentro do vidro. Em seguida, eles adicionaram pedaços de materiais de absorção de luz, incluindo o grafeno.

Quando a equipe anotou um número, a luz refletida no dígito entrou em um lado do vidro. As bolhas e impurezas dispersaram as ondas de luz de maneiras diferentes, dependendo do número, até que [as ondas de luz] atingissem um dos 10 pontos designados — cada um correspondendo a um dígito diferente — no lado oposto do vidro.

O vidro é capaz de informar ao pesquisador quantos números ele “observou” — na velocidade da luz e sem a necessidade de qualquer fonte de energia ou de computação tradicional.

“Estamos acostumados com a computação, mas isso [a façanha feita por eles] ampliou a nossa visão”, disse Yu. “Ensinar as máquinas a ‘observar’ corretamente será a chave para alcançarmos os objetivos de inteligência artificial.” [Futurism].