(Créditos da imagem: Reprodução).

Provavelmente você já deve ter ouvido falar que certo dia, Newton dormiu embaixo de uma macieira e ao cair um fruto dessa árvore, ele descobriu a gravidade. Bem simples fazer uma descoberta científica assim, não? Contudo, essa história não é real, ela é altamente fantasiosa e reduz muito toda a investigação de Isaac Newton.

A gravitação, que iria mais tarde ocupar um lugar central na teoria que Newton propôs, não era um assunto novo. Galileu, um outro cientista, havia descoberto anteriormente que corpos de mesma massa, abandonados na mesma altura atingiam o chão no mesmo instante. Essa afirmação foi corroborada mais tarde por astronautas que foram a Lua e testaram o que Galileu propôs, tendo em vista que lá não existe a resistência do ar do nosso planeta, por conta da atmosfera.

A gravidade se tornou obsessão na vida de Newton. Em suas anotações filosóficas, pode-se encontrar menções a gravitação, quando ele ainda era estudante, nesses manuscritos existem várias experiências que ele realizou como quando ele verificou se um prato tinha o mesmo peso em pé e deitado.

O astrônomo Kepler já havia determinado a forma das órbitas dos planetas a partir de suas observações, e essas descobertas intrigaram Newton, que buscou estabelecer uma causa comum entre o movimento dos planetas e da Lua com a queda de uma maçã no solo quando a macieira é sacudida pelo vento.

Ele não chegou a solução da gravitação universal de imediato, foram longos anos de reflexão e interação com outros cientistas, depois de pensar continuamente sobre o assunto. O esforço realizado por Newton envolveu muito trabalho através de experimentos, observação astronômica e cálculos matemáticos.

Quer saber mais? O livro Newton: a órbita da Terra em um copo d’água de Eduardo de Campos Valadares, é excelente!

Lucas Guimarães
Doutorando em Ensino de Ciências, mestre em Ensino de Ciências, professor de Ciências e Química da Rede Municipal de Ensino de Barra Mansa e Volta Redonda e autor do livro "Lavoisier na Sala de Aula". Atualmente desenvolvo a função de articulador de ciências na rede municipal de Barra Mansa (RJ), além de um trabalho de metodologias ativas aplicadas no laboratório de ciências no Colégio Espaço Verde. Tenho interesse de pesquisa na área de História da Ciência no Ensino