(Créditos da imagem: ESA-V.Crobu).

Infelizmente a descoberta não foi feita em outro planeta; mas não deixa de ser excitante. Um grupo de astronautas que fazia um treinamento em uma caverna, descobriu acidentalmente um novo crustáceo.

A expedição, que fazia parte do curso ESA CAVES, da Agência Espacial Europeia (ESA), ocorreu em 2012 com astronautas da Europa, Rússia, Estados Unidos, Canadá, Japão e China, em uma caverna na ilha de Sardenha, na Itália, que conta com um grande número de espécies, muitas endêmicas. O novo crustáceo, no entanto, foi descrito apenas em dezembro de 2018, em um artigo no periódico ZooKeys.

“Pedi aos astronautas que pegassem alguns espécimes. Quando os analisamos no microscópio, percebemos rapidamente que eles eram um tipo extraordinário de espécies aquáticas”, disse à ESA Paolo Marcia, zoólogo da Universidade de Sassari.

Os espécimes coletados foram enviados para uma análise molecular, para confirmar a descoberta. Os Alpioniscus sideralis, como foram chamados, são animais bem pequenos, e ocorrem no meio aquático. Os machos chegam a aproximadamente 7mm e as fêmeas cerca de 7,5mm e não possuem olhos. Eles receberam esse nome por terem sido descobertos por astronautas; sideralis, do latim, refere-se às estrelas.

“Eu gostaria de pensar que quando os humanos pousam em Marte e exploram suas cavernas, essa experiência os ajudará a procurar outras espécies, sabendo que a vida tem poucos limites e pode se desenvolver nos lugares mais inóspitos”, conclui Paolo à ESA.

Referência:

  1. TAITI, Stefano et al. The genus Alpioniscus Racovitza, 1908 in Sardinia: taxonomy and natural history (Isopoda, Oniscidea, Trichoniscidae). Acesso em: 01 mai. 2019.