(Créditos da imagem: NASA/ESRSU/Seán Doran).

Alexander Gerst, astronauta alemão atualmente a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), fez um registro inusitado em 16 de novembro deste ano. Ele produziu diferentes fotos do lançamento do carga espacial Progress MS-10, que subiu até o espaço e fez uma “perseguição” à ISS.

A espaçonave havia sido lançada do Cosmódromo de Baikonur, o centro de lançamento espacial russo no Cazaquistão, a partir de um foguete Soyuz-FG da agência espacial russa Roscosmos para uma missão de reabastecimento da ISS, levando cerca de 2,4 toneladas de mantimentos, equipamentos e experimentos científicos que serão conduzidos a bordo da estação espacial pelos astronautas.

A partir do conjunto de 2050 fotos de Gerst, em missão pela Agência Espacial Europeia (ESA), o artista Seán Doran produziu o incrível vídeo timelapse que exibe a trajetória do cargueiro Progress subindo e em órbita seguindo a ISS. No vídeo, que foi feito a partir dos quinze minutos iniciais do voo da nave espacial, é possível ver o lançamento, que começa aos 17 segundos do vídeo (canto inferior esquerdo da tela), e o instante em que o primeiro estágio se separa seguindo-se a ignição do segundo estágio, aos 26 segundos. As inúmeras luzes vistas no vídeo são as cidades e vê-se ainda o brilho noturno da atmosfera terrestre. A partir daí se inicia a caçada espacial do Progress à ISS. Confira!

As imagens foram registradas a partir da vista do módulo Cupola da ISS, construído pela ESA e que serve de observatório com suas sete janelas, utilizado para conduzir experimentos, acompanhamento de atividades externas como acoplamentos e caminhadas espaciais e é ponto de observação da Terra.

Publicidade

Além de Alexander Gerst, a astronauta da NASA Serena Auñón-Chancellor e russo Sergey Prokopyev, este em missão pela Roscosmos, fazem parte da tripulação atualmente a bordo da estação espacial.

O lançamento de um foguete Soyuz-FG que deu impulso ao cargueiro Progress foi o primeiro desde a falha da espaçonave russa em 11 de outubro, quando o módulo tripulado Soyuz MS-10 teve de fazer o abortamento da missão e um pouso de emergência. Com essa missão, subiriam até a ISS Alexey Ovchinin, astronauta da Roscosmos (comandante da Soyuz-MS-10), e Nick Hague, da NASA, membros da Expedição 57.

A tripulação da Expedição 57 saiu ilesa do incidente e foi resgatada após o pouso de emergência do módulo a vinte quilômetros a leste de Dzhezkazgan, também no Cazaquistão. O voo abortado do Soyuz MS-10 foi o primeiro caso de um incidente de foguete tripulado russo em alta altitude em 43 anos, desde o evento com a Soyuz-18A, que não conseguiu chegar em órbita em abril de 1975, ocasião em que a tripulação também chegou sã e salva à terra firme.

Compartilhe:
Mestrando em Estudos Ambientais pela UCES, Buenos Aires. Graduado em Engenharia Civil e pós-graduado em Gestão Pública e Controladoria Governamental. Com interesse por ciência, tecnologia, filosofia, desenvolvimento sustentável e diversas outras áreas do conhecimento humano.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.