(Créditos da imagem: K. K. Dijkstra et al./Cell).

Os tumores em miniatura em um aparelho podem ser usados ​​para dar às células imunes poderes que podem combater o câncer, podendo esclarecer também o motivo de alguns tumores resistirem a uma determinada terapia promissora.

O tratamento inovador do câncer, chamado de imunoterapia, recorre ao sistema imunológico dos pacientes para combater seus cânceres. Com o objetivo de avançar nesta abordagem, a pesquisadora Emile Voest, do Netherlands Cancer Institute, em Amsterdã, e seus colaboradores obtiveram células tumorais de pessoas com câncer colorretal ou de pulmão e cultivaram as células para produzir organoides (estruturas tridimensionais, derivadas de células tronco ou progenitores) específicos de pacientes, sendo neste estudo pequenas versões em 3D de órgãos inteiros. Os pesquisadores também usaram tecido livre de câncer de vários dos mesmos pacientes para produzir organoides saudáveis.

A equipe isolou as células imunológicas chamadas linfócitos do sangue dos pacientes e incubou os linfócitos de cada paciente com seu organoide tumoral. Isso aumentou o número de células imunológicas que foram capazes de atacar os organoides do tumor. Mas os linfócitos incubados com organoides saudáveis ​​não mataram o tecido hospedeiro, sugerindo que a técnica não causaria efeitos colaterais sérios.

Os cientistas dizem que sua abordagem ajudará a investigar o porquê de alguns tumores perderem a sua resposta à imunoterapia.

Fonte:Nature
Compartilhe:
Graduando em Ciências Biológicas na UFJF. Atualmente, sou estagiário no laboratório de Genética.

1 comentário

  1. O problema é quando o câncer convence as celulas de defesa a se recolherem, como se não fossem perigosas ao corpo…

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.