Muitas aves aprendem comportamentos essenciais quando filhotes, como a vocalização ou o voo. Outras nascem com características inatas, genéticas. Uma nova pesquisa mostra agora que talvez as aves possam aprender a vocalizar ainda dentro dos ovos, ouvindo seus pais.

Continua após a publicidade

Pesquisadores estudaram, por conseguinte, ovos de cinco espécies de aves: Malurus cyaneusMalurus elegansGeospiza fuliginosaEudyptula minor (pinguim-azul) e Coturnix japonica (uma espécie de codorna). Destas, apenas as três primeiras espécies desenvolvem a vocalização ao longo da vida, a partir do aprendizado com os pais.

As duas últimas espécies, por outro lado, têm apenas cantos que são transmitidos geneticamente ao longo das gerações. De acordo com a pesquisa publicada no periódico Philosophical Transactions of the Royal Society B, portanto, todos os animais são capazes de reconhecer os sons de sua própria espécie ainda dentro do ovo.

Para além disso, de acordo com o estudo, as aves vocais — ou seja, que aprendem a vocalizar ao longo da vida — têm reações mais profundas dentro do ovo quando ouvem o canto de seus pais ou parentes da mesma espécie.

Continua após a publicidade

“Nós esperávamos encontrar evidência de aprendizado nos pássaros canoros, mas não na codorna e nos pinguins”, afirma uma das autoras da pesquisa, Diane Colombelli-Négrel, em uma declaração.

Para avaliar a resposta das aves ainda dentro dos ovos, os pesquisadores monitoraram os batimentos cardíacos nas cinco espécies, na presença de sons da própria espécie e de espécies diferentes. Acontece que tanto mamíferos quanto aves apresentam uma redução no ritmo cardíaco quando estão prestando atenção a algo.

Desta forma a equipe de pesquisadores registrou que todas as espécies tinham essa redução na frequência cardíaca ao som de animais de sua espécie, o que não ocorreu com espécies diferentes. Ainda, nos pássaros canoros a resposta foi mais duradoura.

Continua após a publicidade

Aprendizado muito mais complexo da vocalização do que se imaginava

Apenas sete linhagens de organismos vivos no planeta desenvolvem algum tipo de vocalização por aprendizado. Dentre estes estão os cetáceos, pássaros canoros e nós, humanos (únicos dos primatas), por exemplo.

Tendo isso em vista, a pesquisa ressalta que as observações mostram um nível completamente novo de complexidade no aprendizado da vocalização nas aves.

“Movendo o panorama para o aprendizado pré-natal, esta direção de pesquisa abre caminhos para medir os efeitos neurobiológicos resultantes de experiências auditivas precoces no comportamento e processamento da informação”, declara a professora Sonia Kleindorfer, colaboradora da pesquisa.

Continua após a publicidade

Estudos recentes, aliás, mostraram que bebês humanos recém-nascidos podem identificar a voz de seus pais, e que isso pode inclusive ter um efeito analgésico nas crianças. Além do mais, diversas pesquisas anteriores mostram que fetos podem identificar a voz de seus pais mesmo dentro da barriga.

Além das observações citadas, os pesquisadores relatam que muitas fêmeas das espécies de aves da pesquisa cantam para os seus ovos. Isso é, teoricamente, estranho, uma vez que o canto pode também atrair predadores. A partir desta observação, aliás, a equipe resolveu investigar a questão mais a fundo e descobriu a evidência de aprendizado nestas aves.

Com informações de Philosophical Transactions of the Royal Society B.
Publicado originalmente por SoCientíficaLeia o original aqui.