(Créditos da Imagem: kjpargeter/Freepik)

Antes de conhecermos sobre esta terapia em si, vale a pena fazer uma breve contextualização sobre os o uso do ultrassom terapêutico e as propriedades geradas pelas radiações eletromagnéticas não ionizantes em tecidos biológicos, fazendo um panorama geral das radiações e suas aplicações como no tratamento correspondente ao conteúdo desta matéria. Após essa breve explicação, será feita uma descrição sobre o que é a fibromialgia, sua prevalência na população, como é dado o diagnóstico e os tratamentos atuais, e em seguida o tratamento proposto pela equipe de Cientistas do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC/USP). Feito esses adendos, vamos ao conteúdo!

1. Ultrassom Terapêutico

Os equipamentos de ultrassom terapêutico são aparelhos que emitem vibrações mecânicas, inaudível ao ouvido humano. As propriedades do uso desse equipamento estão relacionadas a efeitos regenerativos, anti-inflamatórios e analgésicos em organismos vivos. Esses aparelhos são normalmente utilizados em distúrbios no sistema músculo-esquelético com a regeneração tecidual.

As vibrações geradas pelo equipamento de ultrassom causam alterações no ambiente celular, havendo modificações na concentração de íons que acabam por sua vez gerando um aumento da resposta celular ao estimulo do ultrassom, causando um aumento na síntese proteica e mobilização de células que constituem o tecido conjuntivo, os fibroblastos.

2. Radiações Eletromagnéticas

As radiações eletromagnéticas são classificadas, de grosso modo, em dois tipos: as ionizantes e não ionizantes. As radiações eletromagnéticas ionizantes são aquelas que apresentam um comprimento de onda mais curto, na faixa de 400 nm para baixo, que corresponde aos tão famosos raios ultravioletas.

Em contrapartida, as radiações eletromagnéticas não ionizantes possuem um comprimento de onda superior a 400 nm, esses são capazes de serem captados pela visão humana por fazerem parte do conhecido espectro eletromagnético visível, que vai de 400 nm, começando pela cor violeta e indo até 750 nm, correspondente ao vermelho, acima disso, se inicia o infravermelho, invisível ao olho humano.

A energia carregada pelas radiações ionizantes é capaz de quebrar ligações químicas, alterando a conformidade de moléculas e gerando radicais livres, que tem um grande poder de ionizar estruturas celulares, como o DNA, lipídeos e proteínas, trazendo prejuízos às células, algumas vezes irreversível.

Em contrapartida, as radiações eletromagnéticas não ionizantes não possuem energia o suficiente para causar quebra de ligações químicas diretas, formando radical livre, mas seus efeitos biológicos podem ser diversos. O tipo de efeito gerado por uma dada radiação vai do seu comprimento de onda, fotorreceptor e do tecido alvo.

De forma simples e direta podemos dizer, de maneira geral, que quando se aumenta o comprimento de onda de uma radiação eletromagnética, maior vai sendo seu poder de penetração e menor vai sendo a energia carregada, tendo uma relação inversamente proporcional (Ou seja, maior penetração = menor energia e vice-versa).

Simplificando com um exemplo: todas as células do nosso corpo possuem uma organela conhecida como mitocôndria, essa é responsável por produzir moléculas de Adenosina Trifosfato (ATP para os mais íntimos) que servirão como fonte de energia para a maior parte das funções celulares. Há uma forma de estimular essas estruturas a produzirem mais ATP’s utilizando lasers de baixa intensidade que emitem comprimentos de onda específicos indo do vermelho ao infravermelho. Ao incidir um laser vermelho, por exemplo, em um tecido, as células irão absorver esse comprimento de onda por fotorreceptores mitocondriais gerando uma modulação enzimática, estrutural e funcional, gerando uma potencialização na produção de ATP que poderá ocasionar efeitos como síntese de DNA, RNA, proteínas regulatórias e promoção da proliferação celular.

O uso de Laser de baixa intensidade está relacionado à regeneração tecidual, efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e biomoduladores, que trazem diversos benefícios aos tecidos quando administrados na dosagem certa.

3. Fibromialgia

O conceito da fibromialgia pode ser definido segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, como:

 “uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente, na musculatura. Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais”.

Anatomicamente falando, a fibromialgia afeta principalmente o sistema músculo-esquelético, gerando dores crônicas na musculatura, que podem ser identificadas em sítios dolorosos específicos conhecidos como Tender-Points, sendo usados para auxilio no diagnóstico clínico da síndrome como estabelecido pelo Colégio Americano de Reumatologia, já que não existem exames laboratoriais que comprovem esta síndrome.

Normalmente o inicio das dores é localizado e se alastra pelo corpo de forma generalizada com o tempo. Muitos pacientes relatam a sensação de inchaço nas articulações e na musculatura. Clinicamente dizendo, essa sensação é decorrente da resposta cerebral exacerbada ao estimulo à dor, pois não há inflamações nessas regiões causando inchaços que provocam as dores devido à compressão dos nervos.

Essa síndrome afeta cerca de 2% da população em geral, sendo majoritariamente as mulheres, na faixa etária entre 30 e 50 anos, podendo ocorrer também na infância e na terceira idade. Os homens também podem sofrer com essa morbidade, porém, numa escala significativamente menor quando comparada com as mulheres. Para cada homem que apresente fibromialgia, entre 6 a 10 mulheres apresentam.

A maioria dos tratamentos de Fibromialgia está no tratamento farmacológico com antidepressivos tricíclicos e analgésicos, mas também há tratamentos alternativos como acupuntura, suporte psicológico, Biofeed-back e Hipnoterapia. Todos esses procedimentos tem a finalidade de aliviar as dores, os sintomas depressivos e melhorar a qualidade do sono daqueles que apresentam esse distúrbio fisiológico.

4. Terapia foto-sônica

O estudo piloto intitulado Could Hands be a New Treatment to Fibromyalgia? A pilot Study”,  de 2018, coordenado pelo Dr. Vanderlei S. Bagnato e feito pela equipe de pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos, desenvolveram um equipamento pioneiro no mundo que combina o ultrassom terapêutico com Laser terapêutico, chamado a partir de agora de Ultra-laser.

Ilustração da aplicação do ultralaser na palma da mão. (Créditos da imagem: BRUNO, J. S. A. et al).

O objetivo desse estudo piloto foi elucidar e comparar a conjugação aplicada do Ultra-laser em pacientes sintomáticos com fibromialgia. O estudo contou com a seleção de 48 mulheres com idades entre 40 e 65 anos com diagnóstico clinico de fibromialgia. Essas pacientes foram divididas em seis grupos de oito.

De forma simplificada, o estudo mostrou que a aplicação do Ultra-laser apresenta efeitos mais proeminentes na redução das dores e sintomas, do que quando aplicados separadamente.  Dando ênfase na aplicação na palma das mãos, ao invés dos Tender-points, pois pessoas que apresentam fibromialgia tem uma maior inervação sensorial nas mãos quando em comparação com pessoas saudáveis, sendo esta uma possível fonte de dor, que acaba por gerar irregularidades no fluxo sanguíneo periférico e cerebral que contribuem pra dor.

A irregularidade do fluxo sanguíneo e da temperatura podem gerar alterações sensoriais que afetam o sistema nervoso simpático e parassimpático que por sua vez levam a alterações metabólicas que resultam em dor e fadiga. A aplicação do Ultra-laser na palma das mãos restaura a Homeostasia (equilíbrio) induzindo as células a produzirem mais ATP pela incidência do laser, levando a efeitos sistêmicos a partir do ponto de aplicação, reduzindo as dores.

Segundo Antônio Eduardo de Aquino Junior, um dos autores do trabalho, ressalta que:

Ao fazer a emissão conjugada de ultrassom e laser conseguimos normalizar o limiar de dor do paciente. Já o tratamento na palma das mãos contrapõe o tipo de atendimento feito hoje, muito focado nos pontos de dor […] Com o tratamento, há pessoas que ficaram períodos de 30 dias sem nenhuma dor e outras, até três meses.

Segundo a matéria de Úrsula Neves, na plataforma Pebmed, no ano de 2019, existem dois pontos de atendimento disponíveis para o público, em São Carlos, a 230 km de São Paulo. O primeiro é a Unidade de Terapia Fotodinâmica, na Santa Casa da Misericórdia de São Carlos. As sessões são gratuitas. O segundo local é a clínica Multifisio, onde é cobrada uma taxa simbólica de cerca de R$ 40.

A importância desse trabalho mostra uma alternativa efetiva ao tratamento de fibromialgia, sem que haja uma dependência farmacológica para o tratamento desse transtorno. Esse artigo também visa ilustrar um pouco do potencial da ciência Brasileira no contexto cientifico internacional para o tratamento de morbidades que afetam a população.

Referências:

  1. BRUNO, J. S. A. et al. “Could Hands be a New Treatment to Fibromyalgia? A Pilot Study“. Journal of Novel Physiotherapies. 2018. v. 8, n. 3, p. 1-5.
  2. MARTINEZ, J. E. et al. “EpiFibro (Registro Brasileiro de Fibromialgia): Dados Sobre a Classificação do ACR e Preenchimento dos Critérios Diagnósticos Preliminares e Avaliação de Seguimento“. Revista Brasileira de Reumatologia. 2017. v. 57, n. 2, p. 129-133.
  3. MATHEUS, J. P. C. Efeitos do Ultrassom Terapêutico nas Propriedades mecânicas do Músculo Esquelético. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2018. v. 12, n. 2, p. 241-247.
  4. NEVES, U. “Aparelho que reduz dores da Fibromialgia em 50% chega ao mercado Brasileiro esse ano”. Pebmed.  Acesso em: 09 Jul. 2020
  5. PROVENZA, J. R. et al. “Fibromialgia“. Revista Brasileira de Reumatologia. 2004 v. 44, n. 6,  p. 443-449.
  6. SERGIO, L. P. S. et al. “Low-power laser alters mRNA levels from DNA repair genes in acute lung injury induced by sepsis in Winstar rats“. Laser in Medical Science. 2019. v. 34, p. 157-168.
  7. SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. “Fibromialgia – Definição, sintomas e porque acontece. Acesso em: 07 Jul. 2020.
  8. SOUZA, V. S. “Ultrassom terapêutico: Conceito, Indicação e Contra-indicação“. Blog Fisioterapia. Acesso em: 09 Jul. 2020.
Rickson Ribeiro
Discente do curso de graduação em Ciências Biológicas, modalidade de Bacharelado, iniciado em 2017, atualmente no 4° e ultimo ano, pela Fundação Educacional Serra dos Órgãos (UNIFESO) - Teresópolis (RJ). Representante do Diretório Acadêmico de Ciências Biológicas: Darwin & Wallace. Bolsista em iniciação cientifica pelo CNPq no projeto Floresta-Escola (2018-2020), que atua em ações e estudos de reflorestamento desde 2014. Estagiou na Unidade Transfusional do Hospital das Clinicas Constantino Ottaviano (2019). Estagiando no Laboratório de Biofotônica do UNIFESO, com estudos relacionados à fotorreativação enzimática em modelos bacterianos de E. coli. Sou aquele que acredita que a luz para o progresso seja o conhecimento e, para isso, o investimento na curiosidade é o que instiga a busca de novas descobertas.