(Créditos da imagem: SXS/The Simulating Extreme Spacetimes Project).

Ondas gravitacionais revelaram mais quatro casos em que dois buracos negros maciços fundiram-se. Observados entre 30 de novembro de 2016 e 25 de agosto de 2017, os eventos elevaram o número total de fusões a dez, relatam os físicos do Observatório de Ondas Gravitacionais com Interferômetro a Laser (LIGO, na sigla em inglês) e do detector de ondas gravitacionais de Virgo. Com a ajuda do detector de Virgo em Pisa, na Itália, os detectores gêmeos do LIGO — em Livingston, Louisiana, e Hanford, Washington — estão contemplando essas fusões a cada 15 dias de observações, relatam os físicos em um workshop na Universidade de Maryland em College Park .

As ondas gravitacionais são distorções espantosas do espaço-tempo que podem ser geradas quando dois objetos massivos se fundem. Em 26 de fevereiro de 2016, pesquisadores do LIGO relataram a primeira observação de tais ondas, que originaram-se da fusão entre dois buracos negros. Vinte meses depois, o LIGO e o Virgo impressionaram o mundo novamente quando relataram a fusão de duas estrelas de nêutrons. Para os astrônomos, essa colisão estelar foi uma mina de ouro porque produziu uma explosão de raios gama e outros sinais eletromagnéticos que, por exemplo, revelaram o nascimento de numerosos núcleos pesados. Há pouco mais de um ano, os desenvolvedores do LIGO dividiram o Prêmio Nobel de Física de 2017. O Virgo surgiu em 2017 e também observou três de onze fontes totais, ajudando a identificar suas localizações no céu.

As últimas observações definiram alguns novos registros. Em particular, uma fusão identificada em 29 de julho de 2017 foi de impressionantes 9 bilhões de anos-luz de distância da Terra, e envolveu buracos negros 50 e 34 vezes mais massivos do que o Sol. Os físicos ainda não sabem ao certo como grandes buracos negros estelares se formam ou como eles se juntam. Por exemplo, os cientistas não sabem se começam como pares de estrelas que colapsam em seus próprios buracos negros ou, em vez disso, começam como buracos negros individuais que de alguma forma se prendem um ao outro. Os detalhes de uma amostra maior de tais eventos poderão ajudar a resolver os modelos corretos. O LIGO e o Virgo estão atualmente em manutenção e ajuste, e eles devem retomar suas buscas no início do próximo ano.

Fonte:Science
Compartilhe:
Giovane Almeida
Sou baiano, tenho 17 anos e sou fascinado pelo Cosmos. Atualmente trabalho com a divulgação científica na internet — principalmente no Ciencianautas, projeto em que eu mesmo fundei aos 15 anos de idade —, com ênfase na astronomia e biologia.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.