(Créditos da imagem: NASA).

1. Você poderia voar no seu céu
A espessa atmosfera de Titã, a baixa gravidade (menor que da nossa Lua) e uma pressão de superfície razoável (50% da Terra) permitem que, ao se debater num par de asas amarradas aos seus braços, você poderia voar em seu céu sem mais esforço do que faria para andar.

2. É o único outro mundo com líquido (que conhecemos até o momento)
Além da Terra, Titã é o único mundo que conhecemos que tem líquidos em sua superfície. Estes são na forma de lagos e rios compostos de hidrocarbonetos líquidos, incluindo Ontario Lacus — um lago de 240 quilômetros de comprimento no hemisfério sul de Titã.

3. É maior do que Mercúrio
Titã é considerado uma das luas com maior tamanho em diâmetro (atrás da lua Ganimedes, de Júpiter) e chega a ser maior que Mercúrio. Possui mais de 8.000 quilômetros de largura, e é significativamente mais maciço do que as 61 outras luas conhecidas de Saturno, todas combinadas.

4. Tem um sistema climático parecido com a Terra
Os líquidos em Titã passam por um ciclo semelhante à água aqui na Terra. O metano líquido evapora da superfície, formando nuvens extremamente grossas nos céus, antes de eventualmente chover e reabastecer os lagos e rios no terreno.

5. Nós já pousamos sobre ela, e pousaremos novamente
A nave espacial Cassini levava consigo a sonda Huygens, que aterrou em Titã (o nosso único pouso no Sistema Solar exterior) em 14 de Janeiro de 2005. Há propostas em discussão para um outro patamar, desta vez possivelmente usando um tipo de submarino.

Publicidade
Adaptado de Jonathan O’Callaghan para o Space Answers.
Compartilhe:
Nativo de Lages, Santa Catarina, eu sou cético, liberal, secularista, humanista, ateísta, pacifista, roqueiro punk, flamenguista e um fã assíduo da ciência, da música, do esporte e da literatura. Apaixonado por rock e pelo Universo, sonho em me tornar um guitarrista e astrofísico profissional (e, quem sabe, abocanhar um Nobel e um Grammy). Sou constantemente inspirado todos os dias por bandas como Nirvana e Green Day, por músicas como Smells Like Teen Spirit e Wake Me Up When September Ends, por guitarristas como Kurt Cobain e Billie Joe Armstrong, por livros como Cosmos e a série Mochileiro das Galáxias e por personalidades históricas como Carl Sagan e Albert Einstein. Atualmente ocupo meu tempo compondo músicas, escrevendo textos, lendo, tocando guitarra, assistindo minhas séries preferidas, cantando no chuveiro, dançando em festas ou puxando ferro na academia.

3 comentários

  1. Já comentei sobre isso em outro site e, se me permite, repetirei aqui: o melhor laboratório que você pode enviar para a lua Titã é um drone! De nada adianta um jipão super equipado se toda a vida útil do aparato se restringirá a poucos quilômetros do ponto de pouso.
    Imagine um pequeno rover, nos moldes da sonda opportunity (claro, com mais tecnologia à bordo e movida a reator), porém, desenhada como um drone. Essa nova sonda seria um hibrido de rover sobre rodas e capaz de voos. A própria atmosfera de Titã facilitaria toda a engenharia dessa sonda hibrida.
    Ela alternaria momentos de investigação do solo e eventuais líquidos se deslocando sobre suas rodas e, quando necessário, ligaria sua hélices para deslocamentos maiores ou mesmo pequenas missões de sobrevoo, capturando os diversos tipos de paisagem e, assim, explorando uma boa porcentagem dessa lua.

    Estão surgindo umas notícias de que a Nasa tem planos de enviar uma sonda submarina para os lagos de Titã num futuro próximo e tal, mas, não sei. Pode ser uma boa. Mas também pode acabar por limitar uma pesquisa a um ambiente sem muitas surpresas. Vamos ver.
    Só espero estar vivo para ver essas pesquisas, assim como pude acompanhar as primeiras imagens de Plutão.

    PS: A empresa privada SpaceX já mostrou ao mundo do que é capaz! A Nasa, portanto, já tem uma ótima opção de transporte no mercado.

    • Pelo que entendi, as temperaturas em Titã são extremas, por isso o metano (que é um gás em nosso mundo) está em formato líquido em lagos na superfície do planeta (ou lua, como preferir). Esses oceanos, bem no fundo, poderão abrigar fontes de vida baseadas em carbono em alguma fresta vulcânica, já que uma necessidade básica para a manutenção da vida é o calor. Por isso a ideia do submarino! Muitos pesquisadores já estão contando que vão encontrar algum tipo de organismo nadando nos lagos de Titã.
      Em caso de um drone, só funcionaria mesmo se fosse à bateria nuclear, já que o índice de luz solar em Titã é terrivelmente baixo para painéis fotovoltaicos. E, seguindo a linha de preservação do habitat (caso realmente haja algum), a energia nuclear poderia ser perigosa demais caso haja algum tipo de contaminação devido a algum erro.

Deixe seu comentário!

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.