(Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany/Reuters).

O Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito anunciou a descoberta de outros 100 sarcófagos lacrados e bem preservados na necrópole de Saqqara.

Nos últimos meses, mais de 200 deles foram encontrados no local. Segundo os especialistas, os caixões têm mais de 2500 anos. Além disso, outros artefatos também foram descobertos lá, como estatuetas douradas representando antigas divindades egípcias.

Os sarcófagos e os artefatos foram apresentados durante uma entrevista coletiva.

Os sarcófagos e as estátuas foram enterrados há mais de 2.500 anos. (Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany/Reuters).

Khaled el-Anany, ministro do Turismo e Antiguidades, disse que a descoberta consiste em mais de 100 caixões lacrados dos períodos tardio e ptolomaico, mais de 40 estátuas de Ptah Sukkar (deus da necrópole de Saqqara), caixas de madeira decoradas com a figura do deus Hórus, além de máscaras funerárias.

Os arqueólogos abriram um dos sarcófagos, que guardava uma múmia bem preservada envolta em um pano. Eles foram encontrados em três poços, a uma profundidade de 12 metros da extensa necrópole.

Sarcófagos descobertos datam da dinastia ptolomaica. (Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany/Reuters).

A descoberta de tantos sarcófagos lacrados é um dos achados arqueológicos mais significativos em décadas. Vários deles mantêm suas cores ornamentadas originais, mesmo após terem passado milênios embaixo da terra.

LEIA TAMBÉM: Google cria ferramenta para traduzir hieróglifos egípcios

Os caixões foram encontrados empilhados uns sobre os outros em três poços a uma profundidade de 11 metros. Os itens descobertos devem ser incorporados aos acervos de ao menos três museus egípcios.

Caixões estavam selados, finamente pintados e bem preservados. (Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany/Reuters).

Desde setembro, autoridades revelaram pelo menos 140 sarcófagos selados, com múmias dentro da maioria deles, na mesma área de Saqqara, a cerca de 25 km das Pirâmides de Gizé.

O sítio arqueológico de Saqqara é importante porque no passado o local serviu como necrópole de Memphis, capital do antigo Egito.

Os egípcios enterraram seus mortos ali durante cerca de três mil anos. Não apenas nobres eram sepultados ali, mas também membros da classe trabalhadora.

Com informações de History.

Este texto foi originalmente publicado por Realidade Simulada. Leia o original aqui.